Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2006

REZENDE COSTA: TRONCO PARACATUENSE

O tronco dos Rezende Costa iniciou em Paracatu, a partir do casamento realizado na Matriz de Santo Antonio da Manga de Paracatu em 05/08/1834, entre o Major José de Rezende Costa, natural de Araxá, e sua prima dona Josefa Emília Carneiro de Rezende, natural de Paracatu, filha de Manoel Carneiro de Mendonça e de D. Victória Baptista Roquete Franco. O major José de Rezende Costa era filho de Antonio da Costa Pereira, natural do arraial da Lage, termo da Vila de São José, hoje Tiradentes, e de Anna Luisa de Jesus, natural de São José Del Rei, hoje Tiradentes. *Neto paterno de José de Rezende Costa, inconfidente (essa ascendência não é fidedigna, à falta de documentos probatórios e conflitos de datas, e pode ser um blefe genealógico), e trineto (sic) de outro José de Rezende Costa, natural de Prados, Mg, também inconfidente, e de Anna Alves Preto, natural dos Açores(* obs: esta ascendência foi transcrita da obra do genealogista Arthur Vieira de Rezende - Genealogia Mineira). Neto materno…

UM VULTO PARACATUENSE NO IMPÉRIO

Esquecido pelos historiadores de Paracatu ao longo do tempo, não sendo citado nos livros e tampouco nos sites referentes à Paracatu, talvez por não pertencer às tradicionais famílias da região, o DR. ANTÔNIO DA COSTA PINTO merece seu lugar na historiografia da cidade.
Nasceu ele em 25 de novembro de 1802, na então vila de Paracatu, capitania de Minas Gerais, sendo batizado na Igreja de Santo Antônio da Manga da mesma vila em 30 de janeiro de 1803. Era filho do Coronel Antônio da Costa Pinto e de D. Francisca Maria Pereira de Castro; n.p. de João da Costa Pinto e D. Domingas Rodrigues da Conceição e n.m. do Capitão Antônio José Pereira e D. Maria Tereza de Castro Guimarães.
Matriculou-se na Faculdade de Leis da Universidade de Coimbra em 1822, concluindo o curso com grau de Bacharel, em carta de 7 de junho de 1827.
Cargos que ocupou: Juiz de Fora da Vila do Príncipe, em 1831; extinto o lugar de Juiz de Fora, foi nomeado Juiz de Direito da comarca do Serro, em 1833, sendo removido …

POVOADORES DE PARACATU

Entre 1736 e 1744, segundo documentos oficiais e alguns historiadores, o " Arraial de Sam Luiz e Sant'Anna das Minas do Paracatu" começou a florescer com a descoberta de jazidas de ouro de aluvião em seus ribeirões. Oficialmente o seu descobridor foi José Rodrigues Fróes, que em 1744, comunicou os descobertos de ouro ao governo colonial.

Listamos a seguir, alguns nomes e sobrenomes dos que lá chegaram nos primórdios do Arraial e são troncos de quase todas as famílias de Paracatu .

A) SESMARIAS (listagem parcial, pois é muito numerosa)

1727

Francisco Alves dos Santos - obteve sesmaria nas cabeceiras do Rio Paracatu;

1728

Inácio de Oliveira - obteve sesmaria na barra do Rio Preto;
José dos Santos;

1737

Padre Francisco Palhano;

1741

José Vieira de Melo e André Martins Neto;

1745

Pedro Gomes Santiago, Manoel Martins Viana, Clara Correia de Carvalho, Antônio Rodrigues Paiva, Padre João Cardoso (faz. Canabrava), José Dionísio de Almeida, José Manoel de Moraes, Manoel Coelho Dias, Padre …