Pular para o conteúdo principal

Postagens

Postagem em destaque

SUBSÍDIOS PARA A HISTÓRIA DE PARACATU - O COMEÇO DE UMA BELA HISTÓRIA

Por José Aluísio Botelho
Postagens recentes

PADRE DR. RAIMUNDO DES GENETTES E PARACATU

Por José Aluísio Botelho
Raimundo Henrique Des Genettes entendia de tudo um pouco, como se diz, ou entendia de tudo muito!, nas palavras do notável historiador goiano Paulo Bertran. Seu vínculo com Paracatu está relacionado com a educação e com a genealogia: uma sua neta casou com filho do lugar, perpetuando sua descendência, como veremos adiante. Intelectual multifacetado, médico e humanista, estudou medicina na Universidade de Brest, geógrafo, geólogo e mineralogista, escritor, educador, jornalista e político durante sua trajetória no Brasil. No país de sua adoção, viveu pouco tempo em Ouro Preto, sendo que a maior parte de sua vida, transitou entre Araxá, Bagagem (Estrela do Sul), Uberaba e Luziânia em Goiás. Em Uberaba, especificamente, deixou importantes contribuições para o progresso da cidade, escreveu o historiador José Mendonça para o jornal Lavoura e Comércio de São Paulo, edições de fevereiro de 1956: 1) Fundou em 1854, com Fernando Vaz de Melo, o primeiro estabelecimento de i…

PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 26: OS PEREIRA DA SILVA

Por José Aluísio Botelho
Eduardo Rocha

O sobrenome Pereira da Silva, disseminou-se em todas as regiões rurais de Paracatu e alhures, tais como Unaí, Buritis e Guarda-Mor em Minas Gerais e Catalão em Goiás. Não podemos afirmar que os troncos ora disponibilizados tenham uma ascendência comum por absoluta falta de comprovação documental, bem como por se tratar de sobrenome comum, largamente difundido no Brasil.
Nota: as denominações que identificavam as zonas rurais onde as famílias eram moradoras, via de regra, tinham como referências os nomes do principal curso d'água existente na região; nestes locais existia uma capela ou oratório, onde os padres em desobriga (visitas pastorais) realizavam os ritos religiosos, tais como missas casamentos, batizados e atestavam os óbitos.
A – OS PEREIRA DA SILVA DO SÃO CAETANO, RIBEIRA DO JANUÁRIO
Domingos Pereira da Silva, natural da freguesia de São Simão da Junqueira, Vila do Conde, Distrito do Porto, nascido ca. 1698 (declara ter 75 anos em 1773)…

PEQUENOS TRONCOS PIONEIROS: MARTINS MUNDIM/LOPES DA SILVA

Por José Aluísio Botelho/Eduardo Rocha
SOBRE OS MARTINS MUNDIM: Antônio Martins Mundim, falecido ca. 1800, natural da freguesia de São Cristóvão de Mondim de Basto, Vila Real, Portugal, filho legítimo de Manoel Martins e de Izabel João, casados na matriz de São Cristóvão em 16/09/1725; neto paterno de outro Manoel Martins e de Sebastiana Martins; neto materno de Antônio João e de Margarida João da Mota, todos do lugar de Viando, da dita freguesia de São Cristóvão; no arraial do ouro, viveu e criou os filhos na fazenda Aldeia de Cima ou Terra dos Mundim. Inventário: 2ªVara-cx.1801. Filhos de Antônio Martins Mundim e de mãe cujo nome se ignora: 1 Joaquim Martins Mundim, 24 anos no inventário do pai; foi casado com Arcângela Lopes da Silva, filha de Lázaro Lopes da Silva e de Catarina Maria da Conceição – vide os Lopes da Silva, adiante; Inventários: 1ªVara-cx. D-01; 1ªVara-cx. I-41 (1931). 2 Luísa Martins Mundim, com 23 anos no inventário do pai (1801); foi casada com José de Sousa; sem mais …