Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2016

SÉRIE - PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 17 - LEME DO PRADO

Por José Aluísio Botelho

Colaboração Eduardo Rocha



De tradicionais famílias paulistas de Itu, Francisco Leme do 

Prado foi o iniciador do sobrenome no arraial de São Luiz e 

Santana das Minas do Paracatu, perpetuado e corrompido

nadescendência como Lemes do Prado/Lemos do Prado.

Depois deperambular pelas minas de Cuiabá e de Goiás, 

eleestabeleceudefinitivamente com a família no arraial de 

Santo Antonio daLagoa, pertencente a freguesia da Manga 

de Paracatu. Foicasado com Francisca Cardoso de Godoy,

também naturalde Itu. Transcrevemos abaixo os troncos 

do casal, iniciandopelos

 GODOYS

Teve começo esta família em Baltazar de Godoy, nobre castelhano, que veio a S. Paulo na segunda parte do século XVI em tempo do domínio de Castela no Brasil. Aqui casou com Paula Moreira filha do capitão-mor governador Jorge Moreira, natural do Rio Tinto, Porto, e de Izabel Velho. V Teve:
Cap. 1.º Belchior de GodoyBelchior de Godoy casou em 1629 em S. Paulo com Catarina de Mendonça f.ª de Francisco de Mendonça…

ARRAIAL DO OURO - GENEALOGIA A CONTA-GOTAS: ALFORRIAS

POR JOSÉ ALUÍSIO BOTELHO

Desde o início da escravidão no Brasil, ocorrida já na primeira metade do século XVI, até o fim do império e início da república, os relacionamentos sexuais dos senhores com suas escravas eram comuns, constantes e contínuos, principalmente devido a falta de mulheres brancas disponíveis tanto para o casamento, quanto para relacionamentos extraconjugais. Portanto os homens brancos procuravam suas escravas para as práticas sexuais, e desses relacionamentos, evidentemente, nasciam os filhos, chamados de espúrios, bastardos, sacrílegos (quando envolviam padres), ou naturais. A esmagadora maioria deles não eram reconhecidos pelos pais, o que não deixou de ser um obstáculo quase que intransponível na elaboração de genealogias no Brasil. Mas, existiram exceções, raras é verdade, que nos permite elaborar alguns troncos genealógicos esparsos. O reconhecimento desses filhos, ou as pistas, ou indícios das paternidades, na maioria das vezes se davam por ocasião dos batismo…

TRONCO PIONEIROS - ARAÚJO FERREIRA

Por Eduardo Rocha e Mauro Cézar da Silva Neiva
Família pioneira no arraial do ouro, provavelmente oriunda de Serro do Frio, norte de Minas. Alcançou seu apogeu na primeira metade do século dezenove.
UM TRONCO

1-Antônio de Araújo Ferreira, falecido em 15/04/1853; casado em 1781 com Maria Franco de Oliveira, filha do Sargento mor Manoel José de Oliveira Guimarães e de N, falecida por volta de 1843; moradores no arraial do São Sebastião.
Nota: segundo Olímpio Gonzaga ele viveu 100 anos.
Inventários: 2ª Vara cx. 1856/2ª Vara cx. 1854.
Provisão de casamento datado de 03/02/1781 emitido pelo Cartório eclesiástico da Matriz da Manga, imagem abaixo:Filhos:

1-1 Joaquim de Araújo Ferreira, nascido em 1793 e falecido em 12/04/1851; casado com Eufrásia Nogueira Silvares; moradores no arraial de São Sebastião.
Inventário: 2ª Vara cx. 1861.
Batismo: "Aos primeiros de junho de mil setecentos e noventa e tres annos, nesta igreja matriz de Santo Antonio freguesia da Manga, Bispado de Pernambuco, bapt…

TRONCOS PIONEIROS - GOMES CAMACHO

Por Eduardo Rocha
Sobrenome composto originário da ilha da Madeira, Portugal. Em 

nossas pesquisas não se conseguiu estabelecer as relações de 

parentesco entre os troncos disponibilizados, devido a falta de 

documentos, embora todos eles são naturais de Paracatu.
1 – Capitão Estevão José Gomes Camacho, falecido por volta de 1805; 

pioneiro no arraial do ouro, seu nome aparece em documentos 

eclesiásticos em 1765; vereador da Câmara da Vila de Paracatu do 

Príncipe em 1802; foi casado com Thomázia (Antônia) da Mota 

Fernandes; proprietário e morador da fazenda Tapera.

 Inventário: 2ª vara cx. 1799 – 1808.

Filho descoberto:

1 – Antonio Fernandes Camacho, sem mais notícias.


                      OUTROS TRONCOS


2 – Joana Gomes Camacho, casada com Caetano Dantas de Oliveira, 

falecido em 02/05/1844; moradores na fazenda Cachoeirinha.

Inventário: 2ªvara cx. 1857.

Filhos:

1 – Caetana Dantas Barbosa, nascida em 19/09/1814; casada com 

Manoel José da Rocha.

"Aos vinte e quatro de julho de mil oitocent…