Pular para o conteúdo principal

TRONCOS PIONEIROS - GOMES CAMACHO

Por Eduardo Rocha

Sobrenome composto originário da ilha da Madeira, Portugal. Em 

nossas pesquisas não se conseguiu estabelecer as relações de 

parentesco entre os troncos disponibilizados, devido a falta de 

documentos, embora todos eles são naturais de Paracatu.

1 – Capitão Estevão José Gomes Camacho, falecido por volta de 1805; 


pioneiro no arraial do ouro, seu nome aparece em documentos 

eclesiásticos em 1765; vereador da Câmara da Vila de Paracatu do 

Príncipe em 1802; foi casado com Thomázia (Antônia) da Mota 

Fernandes; proprietário e morador da fazenda Tapera.
 

 Inventário: 2ª vara cx. 1799 – 1808.

Filho descoberto:

1 – Antonio Fernandes Camacho, sem mais notícias.
 


                      OUTROS TRONCOS
 

2 – Joana Gomes Camacho, casada com Caetano Dantas de Oliveira, 


falecido em 02/05/1844; moradores na fazenda Cachoeirinha.
 

Inventário: 2ªvara cx. 1857.

Filhos:

1 – Caetana Dantas Barbosa, nascida em 19/09/1814; casada com 


Manoel José da Rocha.

"Aos vinte e quatro de julho de mil oitocentos e quarenta e hum na Fazenda da Cachoeirinha distrito do ribeirão do São Pedro casou Manoel Roxa de Oliveira, 25 anos, filho do Reverendíssimo Ricardo José da Roxa e de Maria José de Oliveira, com Caetana Dantas de Oliveira, 21 anos, filha de Caetano Dantas de Oliveira e de Joana Gomes Camacho."

Filho:

1 – 1 João, nascido em 29/03/1846; casado com Eudóxia Lopes.

filho descoberto:

1 – 1 – 1
Henrique, nascido em 15/04/1893; foi batizado em 

01/10/1893 na capela da Nossa Senhora D'Abadia na tapera da ribeira 

do São Pedro, filho de João Gomes Camacho e de Eudóxia Lopes; 

casado em 30/11/1918 com Ermínia Nunes Gonçalves;

"Aos trinta de novembro de mil novecentos e dezoito casou, Henrigue
Gomes Camacho
e Erminia Nunes Gonçalves, ele filho legitimo de João
Gomes Camacho
e Eudoxia Lopes Trindade, ela filha legitima de Antonio
Nunes Gonçalves
e Carolina Gonçalves Nunes."

1 – 2 Ricardo, nascido em 09/11/1846;

1 – 3
Virgínia Leopoldina da Rocha, casada com Joaquim Caetano 

Dantas;

"
Aos dose de junho de mil oitocentos e setenta casou na ribeira do São Pedro, Joaquim Caetano Dantas, 24 anos, filho de Manoel Caetano Dantas e de Ana Gomes Camacho com Virgínia Leopoldina da Rocha, 20 anos, filha de Manoel José da Rocha e de Caetana Dantas de Oliveira."

2 –
José Caetano Dantas de Oliveira, 48 anos; casado com Maria José 

Gomes Camacho, falecida em 02/1846, filha de Geraldo Gomes 

Camacho e de Ana Matildes de Sousa.

Inventário: 2ª vara cx. 1857.

Filhas:

2 – 1 Josefina Dantas de Oliveira, 11 anos; casada com João Fernandes  

da Encarnação;

"Ao primeiro dia de outubro de mil oitocentos e trinta e dois na
Ribeira
do São Pedro casou João Fernandes da Incarnação, 32 anos, filho de Thomaz Fernandes da Encarnação e de Maria Moreira Godói com Josefina Dantas de Oliveira, 22 anos, filha dos finados José Caetano Dantas e Maria José Gomes Camacho."

2 – 2 Ana Matildes Gomes Camacho, falecida em 29/12/1892; foi a 


segunda esposa de José Dantas de Oliveira ou José Caetano Dantas de 

Oliveira; moradora na fazenda Cachoeira.

Inventário: 1ª vara cx. I – 12.

Sem descendentes, em testamento deixa os bens para sua enteada 


Josefina Dantas de Oliveira, casada com João Fernandes da  

Encarnação;

3 – Manoel Caetano Dantas de Oliveira, 36 anos; casado com Rosa 


Gomes Camacho, filha de Geraldo Gomes Camacho e de sua segunda 

mulher Romana Batista de Avelar.

Filhos:

3 – 1 Joaquim, nascido em 21/07/1846;

3 – 2 Arcílio;

3 – 3 Elvira, nascida em 27/09/1853;

4 – Rita Dantas de Oliveira, 40 anos; casada com Manoel Geraldo 


Gomes Camacho, nascido em 16/09/1816 e falecido em 1887, filho 

legítimo de Geraldo Gomes Camacho e de Ana Matildes de Sousa.

Inventário: 2ª vara cx. 1886 – 1887.

"Aos vinte e quatro de fevereiro de mil oitocentos e quarenta e seis na fazenda Cachoeira, Ribeira de São Pedro, casou Manoel Gomes Camacho, 28 anos, filho de Geraldo Gomes Camacho e Ana Matildes de Sousa com Rita Dantas de Oliveira, 27 anos, filha de Caetana Dantas de Oliveira e Joana Gomes Camacho."

Fazenda Salobo, partes nas fazendas: Boqueirão, Capão do Arroz, Três 


Barras, Aldeia, Macaúbas, Sitio, Pico e Lagoa do Soberbo.


4 – 1 Francisca, nascida em 08/03/1847; casada em primeiras núpcias 


com José Gomes Camacho, e em segunda núpcias casada com Manoel 

Batista de Matos.

filha descoberta do Segundo Matrimônio:

4 – 1 – 1 Victória Baptista de Mattos, Casada em 08/12/1873 com 


Mariano Espósito, Natural da Itália.

"Aos sete, digo oito de novembro de mil oitocentos e setenta e tres nesta frequesia de Santo Antonio cidade de Paracatu Bispado de Diamantina, justificado e aprovado o seu estado de solteiro, dispensado duas publicação dos banhos, depois de preparados com os sacramentos da penintencia eucharistica, em presença das testemunhas o Doutor Joaquim Pedro de Mello, Ricardo Seraphim de Sousa Porto, alem de outras muitas pessoas em minha presença receberão em matrimonio por palavras de presente os nubentes: Mariano Esposito, branco de idade de
trinta e nove annos, oriundo da cidade de Napoles
na Italia, Cardial de Sam João do mesmo lugar, negociante, filho legitimo de Antonio Esposito, e sua Mulher Dona Angela Roza Peviti com Dona Victoria Baptista de Mattos, branca de idade de vinte anos , filha legitima do finado Manoel Baptista de Mattos, e sua mulher Dona Francisca Gomes Camacho, oriundos desta frequesia e lhes deis as bençãos nupciais, na forma do ritual romano. e para constar fiz este assento que assigno. O Parocho Interino Padre João Gonçalves de Araújo Velho."

4 – 2 Deolinda Gomes Camacho, falecida em 11/1894; casada com 


Amâncio Gomes Camacho. Fazenda Salobo.

Inventário: 2ª vara cx. 1894/1895.

Filhos:

4 – 2 – 1 João, nascido em 1891, foi batizado na capela de Nossa 


Senhora da Abadia da Tapera, ribeira do São Pedro em 30/05/1894;

4 – 2 – 2 Maria, Batizada em 11/10/ 1891 na capela de Nossa Senhora 


D'abadia da Tapera, na ribeira do São Pedro;

4 – 2 – 3 Orozimbo, nascido em 1888; foi batizado em 11/10/1891 na 


capela de Nossa Senhora D'abadia da Tapera, na ribeira do São Pedro;

4 – 2 – 4 Joaquim 8 anos;

4 – 2 – 5 José Francisco Ribeiro, 14 anos;

4 – 2 – 6 Benedita Francisco Ribeiro, 13 anos;

4 – 2 – 7 Corina Francisco Ribeiro, 12 anos;

4 – 2 – 8 Antônia, 11 anos;

4 – 3 Rosalina Gomes Camacho;

4 – 4 Raquel Gomes Camacho; casada em 01/10/1872 com José Alves 


de Sousa;

"Aos hum de outubro de mil oito Centos e setenta e dois, na Ribeira de
São Pedro, casou Jose Alves de Sousa , 21 anos, filho de Manoel Luiz
Alves de Sousa com Raquel Gomes Camacho, 21 anos, filha de Manoel
Gomes Camacho
e de Ritta Dantas de Oliveira. o nubente é nascido e
baptizado na Villa Formosa da Imperatriz do Bispado de Goias.”

4 – 5 Teodósio Gomes Camacho;

5 – Salomé Dantas de Oliveira, 28 anos; casada com Zeferino Gomes 


Camacho;

6 – Joaquim Caetano de Oliveira, 32 anos casado com Carolina de 


Sousa Soares;

7 – Honorata Dantas de Oliveira, 27 anos; casada com Carlos de Sousa


Soares;

"Aos vinte e hum de agosto de mil oitocentos e cincoenta e hum, casou Carlos Soares de Sousa com Honorata de Oliveira Dantas 22 anos, filha de Caetano Dantas e Joanna Gomes Camacho."

8 – Francisco de Oliveira Dantas, 38 anos; casado com Rachel de 


Sousa Soares;

Filhos:

8 – 1 Joana, nascida em 04/12/1848;

8 – 2 Jesuína, nascida em 25/10/1854;

9 – Mariana Dantas de Oliveira, 46 anos; casada com Domiciano Lopes 


de Oliveira;filho descoberto:

9 – 1 Misael, nascido em 08/10/1853;

10 Agostinha Dantas de Oliveira, 5o anos; casada com Silvano Pereira 


da Silva; filha descoberta:

10 – 1 Bárbara, nascida em 04/12/1850;

11 – Jesuína Dantas Oliveira, 24 anos;

12 – Luzia Dantas Oliveira, 30 anos;

13 – Bárbara Dantas de Oliveira, 34 anos;


3 – Major Manoel Gomes Camacho, casado com Izabel Batista de 


Avelar, falecida em 20/12/1851; Fazenda Cedro e Cachoeira.

Inventário: 2ª vara cx.1858.

Filhos:

1 – Zeferino Gomes Camacho, 26 anos; casado em 13/02/1848 na 


ribeira do São Pedro, com Salomé Francisca de Oliveira, filha de 

Caetano Dantas de Oliveira e de Joana Gomes Camacho;

2 – Joana Gomes Camacho, 25 anos;


3 – Carlota Gomes Camacho, 24 anos; casada com Manoel Francisco 


de Figueiredo;

"Em treze de fevereiro de mil oitocentos e quarenta e oito na fazenda
do Cedro, casou Manoel Francisco de Figueiredo, 26 anos, filho
legitimo de Manoel Correia de Figueiredo e Rosa Maria dos Santos,
natural e batizado na fr
eguesia de Lobão no reino de Portugal com
Carlota Gomes Camacho, 18 anos, filha do Ca
pitão Manoel Gomes Camacho e Izabel Batista de Avelar."

4 – Beatriz Gomes Camacho, 27 anos; casada com Tristão de Oliveira 


Mattos, residentes em São João, Termo de Goiás;

5 – Carolina Gomes Camacho, 20 anos; casada em 22/01/1873 com 


João José da Rocha.

"Aos dezoito de novembro de mil oitocentos e trinta e quatro na Ribeira do São Pedro, nasceu Carolina, filha de Manoel Gomes Camacho e Izabel Batista de Avelar."

"Aos vinte e dois de janeiro de mil oitocentos e trinta e seis na
ribeira do São Pedro
casou João Jose da Rocha , 25 anos, com Coralina
Gomes Camacho, 26 anos,
ele filho de Manoel Jose da Rocha e Caetana
Dantas de Oliveira
e ela Filha do Major Manoel Gomes Camacho e Izabel Baptista de Avelar."

6 – Mariana Gomes Camacho, 18 anos; casada com Januário Gomes 


Camacho;

"Aos vinte e dois de novembro na fazenda dos Cedros na ribeira do São Pedro baptizei Mariana, filha de Manoel Gomes Camacho e de Izabel Baptista Avelar."

Inventário: 1ª vara cx. I – 05.
 

Falecida em 27/01/1869 sem descendentes.

Em segundas núpcias Januário Gomes Camacho foi casado com Emília 


Rodrigues de Oliveira.

"Em onze de março de mil oitocentos e setenta e dois casou Januario
Gomes Camacho, 40 anos, viuvo que ficou de Mariana Gomes Camacho com
Emilia Rodrigues de Oliveira, 36 anos, filha do finado Luiz Rodrigues de Oliveira e de Ana Alexandrina de Melo.”

7 – José Gomes Camacho, 16 anos; casado com Francisca Gomes 


Camacho, falecida em 10/1888; fazenda Cedro.
 

Inventário: 2ª vara cx. 1888.

Filhos

7 – 1 Manoel Gomes Camacho, 17 anos;

7 – 2 Maria Gomes Camacho, 15 anos;

7 – 3 Rita Gomes Camacho, 13 anos, casada com José de Sousa 


Soares;

Filho descoberto:

7 – 3 – 1 Mario, nascido em 14/06/1895;

7 – 4 Izabel Gomes Camacho, 11 anos;

7 – 5 Antônio Gomes Camacho, 9 anos;

7 – 6 Cláudio Gomes Camacho, 7 anos;

7 – 7 Sebastião Gomes Camacho, 6 anos;

7 – 8 Benvinda Gomes Camacho, 4 anos;

7 – 9 Abrão Gomes Camacho, 1 Ano;

8 – Luíza Gomes Camacho, 23 anos; casada com Januário Gomes 


Camacho; fazendas Cedro e Cachoeira.

filha descoberta:

8 – 1 Olinda Gomes Camacho, casado com José Lopes Trindade, 


residentes em Planaltina, Goiás.

9 – Cornélio Gomes Camacho, 9 anos;

10 – Maximiano, nascido em 22/11/1836.


4 - Geraldo Gomes Camacho. Casou duas vezes: 1ªvez com Ana 

Matildes de Sousa; 2ªvez com Romana Batista de Avelar.

Filhos primeiro casamento:

4 - 1 Francisca Gomes Camacho, nascida em 02/12/1814;

4 - 2 Maria José Gomes Camacho;

4 - 3 Manoel Geraldo Gomes Camacho;

Filha do segundo casamento:

4 - 4 Rosa Gomes Camacho;


5 – Lourenço Gomes Camacho, casado com Rosa Maria de Macedo  


Guimarães, residentes na ribeira do São Pedro.

Filhos descobertos:

5–1 Ezequiel, nascido em 18/11/1834 na ribeira do São Pedro;

5–2 Estanislau Gomes Camacho, casado m 07/10/1854 com Florência de Macedo, 19 anos;

5–3 Francisco Gomes Camacho, casado com Francisca Ribeiro de 


Andrade, 14 anos, filha de Francisco Ribeiro de Andrade e de Angélica 


de Macedo Guimarães;

5 - 4 Militão Gomes Camacho, casado em 16/04/1855 com Ana Jacinta 

Souto, filha legítima de Maximiano José Souto e de Maria Jacinta de 

Avelar;

5 - 5 Estevão Gomes Camacho, nascido em 1819; casado em 

02/07/1858 com Joaquina Barbosa de Brito, filha de Benedito Barbosa 

de Brito e de Ana Maria do Sacramento; 

6 - padre João de Deus Gomes Camacho, foi vigário na Barra do Espírito Santo, termo de Patrocínio;


Era comum tanto no período colonial, como no Império, escravos receberem os sobrenomes de seus donos na pia batismal, e que perpetuavam o sobrenome, foi o caso de Antonio Gomes Camacho:
"Em doze de julho de mil oitocentos e quarenta e sete casou na ribeira do São Pedro Antonio Gomes Camacho, escravo do casal Lourenço Gomes Camacho, 34 com Maria Do Carmo, Parda, 30 anos, filha de Joaquim Caldas e Maria d'Afonseca."

Fontes:

1 – Inventários relacionados no corpo do texto, sob a guarda do 

Arquivo Público Municipal de Paracatu;

2 – Livros Paroquiais da Matriz de Santo Antonio de Paracatu.

Postagens mais visitadas

OS SANTANA DE PARACATU - MG

Texto José Aluísio Botelho
Pesquisas Eduardo Rocha 
Colaboração Mauro César da Silva Neiva


Família iniciada em Paracatu com o casamento do tenente Joaquim José de Santana e Dona Maria Peixoto. Não descobrimos a data em que se deu o enlace, bem como não sabemos a naturalidade e ascendência do casal. Filho descoberto:
1 – Capitão João José de Santana, nascido por volta de 1814, pouco mais ou menos, criado e educado com esmero pela tia paterna Dona Florência Maria de Santana, tornou-se um rico capitalista, comerciante na Rua do Calvário e fazendeiro; foi vereador do município; falecido em abril de 1895. Esparramado genearca, casou três vezes, deixando 14 filhos dos três leitos.
Com Luiza de Jesus de Afonseca Costa, nascida em 21/06/1816, filha de Antonio Joaquim da Costa, falecido em Araxá aos 31/12/1839, e de Caetana de Afonseca e Silva, 

  teve os filhos:

1.1 - Maria Luisa de Santana, falecida em 16/06/1920. Foi casada com Antonio Eugênio de Araújo, nascido em 01/10/1830 e falecido em 24/04/…

CONEXÃO PARACATU/ARAXÁ: ENTRELAÇAMENTO DAS FAMÍLIAS BOTELHO – JOSÉ DA SILVA – AFONSO DE ALMEIDA - MACHADO DE MORAES E CASTRO - PACHECO DE CARVALHO

Por José Aluísio Botelho A LONGA JORNADA O Tenente Gregório José da Silva e Dona Tereza Tomásia de Jesus Botelho, se encontraram em 1768 na região denominada Campo das Vertentes, MG, ele nascido na região, ela vinda de muito longe em uma longa jornada, desde a ilha Graciosa no Arquipélago dos Açores, concessão portuguesa no oceano Atlântico, passando pelo Rio Grande do Sul, e que se prolongaria até Araxá, no sertão da Farinha Podre. Depois de casados, o casal se fixou primeiramente em São José Del-Rei, aonde nasceram os dois primeiros filhos, de um total de doze. Militar de carreira, recebeu a patente de tenente em 1775, e foi caminhando com família em direção ao oeste promissor, a medida que o ciclo do ouro no Campo das Vertentes ia se esgotando. De São José, estabeleceu na chamada picada de Nossa Senhora de Oliveira, com fazenda de criar gado vacum, e na medida do avançar dos anos, iam nascendo os filhos. Pois bem, todos criados e já na idade adulta, o mais velho ordenado padre, os d…

DONA BEJA E O TESTAMENTO DO PADRE

O vigário Francisco José da Silva foi um padre típico do sertão mineiro: fazendeiro abastado, político influente, e mulherengo, como quase todos os padres de seu tempo. Teve participação decisiva na evolução político-administrativo e social da Araxá na época em que lá viveu, entre 1815 e 1845, ano de seu falecimento. Participou, mesmo que discretamente, da Revolução Liberal em Araxá, apoiando seus sobrinhos liberais, liderados pelo coronel Fortunato José da Silva Botelho, no embate político que se travava em Minas nos anos de 1842. Legitimou em cartório em 1831, três filhos, a saber: Pedro Amado de São Paulo, Placidina Maria de Jesus, e Teresa Thomásia de Jesus. Antes, em Dezembro de 1826, ele dita seu testamento escrito pelo advogado paracatuense João de Pina e Vasconcelos, onde declara não ter herdeiros descendentes (sic) e/ou ascendentes por serem falecidos seus pais, e que nomeava como seus herdeiros Antonio Machado de Morais, Pedro Amado de São Paulo, e Teresa Thomásia de Jesus, …

GUARDA-MOR JOSÉ RODRIGUES FRÓES

OS MELLO FRANCO

Família de origem portuguesa, cujo fundador no Brasil, João de Melo Franco, se fixou em Paracatu por volta de 1755. Era natural da freguesia de Nossa Senhora da Purificação, lugar de Bucelas, patriarcado de Lisboa, filho legítimo de José da Costa Franco e de sua mulher Paula Maria de Oliveira. Nasceu a 7 de outubro de 1721, e faleceu em Paracatu em 1796. Casou aí, com sua parenta Ana de Oliveira Caldeira, natural de Cotia, São Paulo, onde nasceu a 5 de abril de 1739, filha legítima de Antonio de Oliveira Caldeira, nascido a 24 de setembro de 1708 em Santos e de Josefa Nunes da Costa, nascida a 26 de fevereiro de 1722 em Cotia.Tiveram os seguintes filhos:

1 – Francisco de Melo Franco, nascido a 17 de Setembro de 1757 em Paracatu, Minas Gerais. Formou em medicina na Universidade de Coimbra em 1786 e tornou-se um dos mais importantes médicos na corte portuguesa em sua época: o Alvará de 09 de junho de 1793, de D. Maria I, nomeou-o médico honorário da Real Câmara e o Alvará de 03 de agosto…

ARRAIAL DE SÃO LUIZ E SANTANA DAS MINAS DO PARACATU - SÉRIE TRONCOS PIONEIROS 14