Pular para o conteúdo principal

SÉRIE - PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 5 - FAMÍLIA SILVA NEIVA



Pesquisas - Mauro César da Silva Neiva e
Eduardo Rocha
Redação e texto José Aluísio Botelho

Abreviaturas de gerações:
F – filho
N – neto
Bn – bisneto
Tn – trineto
Qn – quarto neto


No lusco – fusco do arraial de São Luiz e Santana das Minas do Paracatu, final do século dezoito, que em breve iria administrativamente se transformar em Vila, passando a se chamar Vila do Paracatu do Príncipe, dois irmãos, cuja procedência não se sabe, lá se estabeleceram. À época, a mineração se encontrava em franca decadência, e a alternativa era a agropecuária rudimentar, baseada em latifúndios. Portanto, os irmãos em questão, João Lourenço e Lourenço da Silva Neiva, adquiriram terras na fértil região do Pouso Alegre, aonde edificaram fazendas, notadamente de criação de gado, casaram e criaram os filhos, gerando troncos da importante e tradicional família Silva Neiva, que se espalhou pelos arredores e alhures. A naturalidade deles  é desconhecida, porém, tudo leva a crer serem de origem portuguesa. Casaram com duas irmãs, com descendência adiante:

A – João Lourenço da Silva Neiva, casado com Ana Ferreira Braga, filha de Antonio Ferreira Braga e de Josefa Gonçalves Torres, filhos de pioneiros do ouro. Senhor e possuidor das fazendas do Pouso Alegre, Retiros e Creolas, partilhadas na descendência. Nota: esse casal já era falecido em 1834.

Filhos:

F.1 – Domingos Lourenço da Silva Neiva, nascido em 08/01/1814 e falecido em 1859; casado 1ª vez em 05/08/1834 com Francisca da Costa Coimbra, filha de José da Costa Coimbra e de Rita Rufino de Miranda; filho:

N1 – Antonio, falecido na infância;

2ª vez com sua cunhada viúva Florinda Rodrigues da Silva, natural de Santa Luzia, Goiás; filhos:

N2 – Maria da Conceição da Silva Neiva, nascida em 19/03/1853 e falecida em 27/07/1888; casada com o Coronel José da Silva Neiva, nascido em 27/08/1840 e falecido em 20/11/1928, filho natural de Luisa da Silva Neiva; descendência em B - F7;

N3 – Joaquim Germano da Silva Neiva, nascido em1853 e falecido em 08/04/1883; casado com Benedita Pereira Mundim; senhor e possuidor das fazendas Lambedor, em Cristalina, Goiás, e das fazendas Pouso Alegre e São Marcos, em Paracatu.
Filhos:

Bn1 – Alice, com 5 anos no inventário do pai;
Bn2 – Ana, com 4 anos;
Bn3 – Joana, com 2 anos;
Bn4 – José, com 1 ano;

N4 – Manoel da Silva Neiva, casado com Júlia Ferreira Albernaz; senhor e possuidor das fazendas do José Teodoro, Solitário, Fuzil e Porto; filhos:

Bn2 – Amélia da Silva Neiva, casado com o Tenente Severiano da Silva Neiva; filhos:

Tn1 – Quintino da Silva Neiva, casado com Dolores Rocha de Oliveira; filhos:

Qn1 – César Abrão Rocha Oliveira;
Qn2 – Jaime Rocha Oliveira;
Qn3 – Viviano Rocha Oliveira;

Tn2 – Trajano da Silva Neiva;
Tn3 – Nazareth da Silva Neiva, falecida solteira;
Tn4 – Valter da Silva Neiva, falecido solteiro;
Tn5 – Joviana da Silva Neiva Campos;
Tn6 – Homem Zolà da Silva Neiva, casado;
Tn7 – Gilberto da Silva Neiva;
Tn8 – Enói da Silva Neiva, falecida solteira;
Tn9 – Lila Lee Martha da Silva Neiva;
Tn10 – Saul da Silva Neiva, o Fioca de alcunha, casado com Serise Laboissière;

Bn3 – Leonor da Silva Neiva, casada com o Coronel Pedro da Silva Neiva;
Bn4 – Hermínia da Silva Neiva, casada com Silvio Roquete Valadares;
Bn5 – Joviana da Silva Neiva, casada com Olímpio Brochado; filha:

Tn11 – Maria Dolores Brochado;

Bn6 – Anita da Silva Neiva, casada com o Coronel Antonio da Costa Porto;
Bn7 – Júlia da Silva Neiva, casada com Ascânio Roquete Valadares;
Bn8 – Florinda da Silva Neiva, sem mais notícias;
Bn9 – Manoel da Silva Neiva, sem mais notícias;

F.2 – Joaquim Lourenço da Silva Neiva, nascido em 1/07/1817; casou em 10/11/1838 com Escolástica dos Reis Calçado, nascida em 1821, filha do Alferes Agostinho dos Reis Calçado e de Teresa de Oliveira Rodrigues; senhor e possuidor da fazenda São Sebastião e no Pouso Alegre e Retiros; filhos:

N5 – Cecílio da Silva Neiva, casado com Joana dos Reis Calçado; filhos:

Bn10 – Joaquim da Silva Neiva, casou duas vezes;

1ªvez com Emília da Silva Neiva, filha de Marciano da Silva Neiva e de Severina José Souto; 2ª vez com Ester Albernaz Santana;

Bn11 – Antenor da Silva Neiva, casado com Ana Mariano de Almeida, filha de José Mariano de Almeida e Silva e de Virgínia Leopoldina Garcia Albernaz;
Bn12 – Domingos da Silva Neiva, casado com Cândida Moreira da Silva, natural de Guarda Mor;
bn13 – Leonildes da Silva Neiva, casada com Jonatas Mariano de Almeida;
Bn14 – Floro da Silva Neiva, casado com Antonia Pinto da Fonseca, filha de Manoel da Fonseca Pinto e de Maria Moreira da Silva;
Bn15 – Eduardo da Silva Neiva, casado com Eucália de Oliveira Melo;
Bn16 – Acelino da Silva Neiva, casado com Josefina Mariano de Almeida;
Bn17 – Ana da Silva Neiva, casada com Manoel Ferreira Albernaz, filho de Silvério Ferreira Albernaz e de Teresa Gonçalves Aragão;
Bn18 – Izabel da Silva Neiva, casada com Manoel da Silva Neiva;
Bn19 – João Lourenço da Silva Neiva, casado com Ana de Sá Guimarães; senhor da fazenda Morrinhos; filhos:

Tn1 - Caetano da Silva Neiva;
Tn2 - Antonio da Silva Neiva, casado com Ana Mariana de Almeida e Silva;
N6 – Martinho da Silva Neiva, casado com Florência Rodrigues Barbosa;
N7 – Marciano da Silva Neiva, casado com Severina José Souto;
N8 – Maria da Silva Neiva, casado com Vargas Ferreira Albernaz;
N9 – José Lourenço da Silva Neiva, casado com Mariana Ferreira Albernaz;
N10 – Lucas da Silva Neiva, casado com Inês do Reis Calçado; 
N11 – Joaquim da Silva Neiva, falecido solteiro;
N12 – Olímpia da Silva Neiva, falecida solteira;
N13 – Virgílio da Silva Neiva, sem mais notícias;

F.3 – João Lourenço da Silva Neiva Filho, casado com Florinda Rodrigues da Silva, natural de Santa Luzia, Goiás; senhor e possuidor das fazendas Pouso Alegre, Rodrigues e Santa Catarina;
 Filhos:

N23 – Carlota da Silva Neiva, casada com Gonçalo de Sá Guimarães, filho de outro Gonçalo de Sá Guimarães e de Teresa Gonçalves Torres; senhores de gleba na fazenda Pouso Alegre; filhos:
Bn13 – João de Sá Guimarães, com 43 anos (?); casou em 1903 com Joana da Silva Neiva;
Bn14 – Gil de Sá Guimarães, casado com Henriqueta Mariano de Almeida e Silva;
Bn15 – Manoel de Sá Guimarães, falecido solteiro;
Bn16 – Maria de Sá Guimarães, 46 anos, falecida solteira;
Bn17 – Manoela de Sá Guimarães, casada com o Tenente Luis Gonçalves dos Santos;
Bn18 – Deolinda de Sá Guimarães, falecida solteira, 36 anos (?);
Bn19 – Joana de Sá Guimarães, 42 anos, falecida solteira;
Bn20 – Brasilina de Sá Guimarães, com 30 anos, casada com José Jordão de Carvalho, natural de Portugal;
Bn21 – Regina de Sá Guimarães, com 40 anos, casada com Manoel Vieira Diniz;
Bn22 – Alzira de Sá Guimarães, com 35 anos, casada com José Pereira Gonçalves;
Bn23 – Francisca de Sá Guimarães, casada com Joaquim José de Araújo Caldas;
Bn24 – José de Sá Guimarães, casado com Ambrosina José de Araújo Caldas;
Bn25 – Izabel de Sá Guimarães, casada com Manoel Victor de Oliveira Melo;
N24 – Emiliano da Silva Neiva, 17 anos; casado com Mariana Ferreira Albernaz;
N25 – Izabel da Silva Neiva, nascida em 1841; casada com Frutuoso Martins Correia; filhos:
Bn26 – Joana da Silva Neiva, casada com João de Sá Guimarães;
Bn27 – Adelina da Silva Neiva, casada com José Camilo de Sousa Lobo, natural de Formosa, Goiás;                                            
N26 – Jovina da Silva Neiva, casada com Virgílio da Silva Neiva; filhos:
Bn28 – Maria da Silva Neiva, casada com Júlio da Fonseca e Silva;
Bn29 – Ana da Silva Neiva, casada com Joaquim dos Reis Calçado;
Bn30 – Osório da Silva Neiva, casado com Maria José Lisboa;
Bn31 – Capitão Henrique da Silva Neiva, casado com Vitorina Gomes da Anunciação;
Bn32 – Benícia da Silva Neiva, casada com Antonio Joaquim de Oliveira;
Bn33 – Maximiano da Silva Neiva, casado com Joana da Cruz Ferreira;
BN34 – Florinda da Silva Neiva, casada com Hermenegildo Alves Pereira;
Bn35 – Cândido da Silva Neiva, falecido solteiro;

N26– Quintino da Silva Neiva, falecido na infância;

F.4 – Maria Rita da Silva Neiva, casada com o Alferes Joaquim Mariano de Almeida e Silva, nascido por volta de 1810 e falecido em 1887; senhores da fazenda Bonsucesso; filhos:

N28 – Joana Mariana de Almeida e Silva, casada com Geraldo José de Araújo Caldas; 
filhos:
Bn36 - Antonio de Araújo Caldas, casado com Joana Mariana de Almeida e Silva;
 filhos:
Tn11 - Maria de Araújo Caldas, nascida em 1886;
Tn12 - Agenor de Araújo Caldas, nascido em 1891;
Bn37 - Maria José de Araújo Caldas, nascida em 1859;
Bn38 - Joaquim José de Araújo Caldas, nascido em 1861; casado com Francisca de Sá Guimarães;
Bn39 - Francisca José de Araújo Caldas, casada com Joaquim Gonçalves Torres;
Bn40 - Afonso de Araújo Caldas, nascido em 1866;
Bn41 - Rosa de Araújo Caldas, nascida em 1872; casada com Jerônimo Mariano de Almeida e Silva;
Bn42 - Rosalina de Araújo Caldas, nascida em 1872 (gêmea de Bn41); casada com Manoel Soares Rodrigues;
Bn43 - Porfírio de Araújo Caldas; casou duas vezes; 1ª vez com N; 2ª vez com Augusta Simões da Cunha;
Bn44 - Pedro José de Araújo Caldas, nascido em 1863; casado com Julieta da Silva Canedo;
N29 – José Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1845; casado com Virgínia Leopoldina Albernaz; filhos:
Bn45 - Jerônimo Mariano de Almeida e Silva, casado com Bn41;
Bn46 - Agenora Mariana de Almeida e Silva;
Bn47 - Francisco Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1874;
Bn48 - Antonio Mariano de Almeida e Silva;
Bn49 - Zulmira Mariana de Almeida e Silva;
Bn50 - Ana Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1884;
Bn51 - Renato Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1887;
Bn52 - Trajano Mariano de Almeida e Silva;
Bn53 - Jonatas Mariano de Almeida e Silva, casado com Leonildes da Silva Neiva;
Bn54 - Josefina Mariana de Almeida e Silva;
N30 – Manoel Mariano de Almeida e Silva, falecido solteiro;
N31 – Porfírio Mariano de Almeida e Silva, falecido em 1886; casado com Maria Benedita da Silva Neiva; filhos:
Bn55 - Joana Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1865; casada com Antonio José de Araújo Caldas;
Bn56 - José Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1871;
Bn57 - Quintino José Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1873; casado com Antonia Coelho de Carvalho;
Bn58 - Antonio Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1875;
Bn59 - Francisca Mariano de Almeida e Silva, nascida em 1877;
Bn60 - João Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1881;
Bn61 - Francelina Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1884;
N32 – João Mariano de Almeida e Silva, casado com Maria Cassiana de Carvalho; filhos:
Bn62 - Henriqueta Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1870; casada com Gil de Sá Guimarães;
Bn63 - Miguel Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1873; casado com Amália Gonzaga de Jesus;
Bn64 - Emília Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1874; casada com José da Silva Canedo;
Bn65 - Francisco Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1886;
Bn66 - Ana Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1879; casada com Manoel Sebastião da Silva Neiva;
Bn67 - Osório Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1882; casado com Marieta Ferreira Albernaz;
Bn68 - Joana Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1885; casada com Antonio Lourenço da Silva Neiva;
N33 – Francisco Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1838; casado com Maria Gonçalves dos Santos, filha do Luis Gonçalves dos Santos e de Carlota dos Reis Calçado; filhos:
Bn69 - Joaquim Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1869;
Bn70 - João Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1871; casado com Maria Nunes Franco;
Bn71 - Izaura Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1873;
Bn72 - Luiza Mariana de Almeida e Silva, nascida em 1876;
Bn73 - Porfírio Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1878;
Bn74 - Júlio Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1880; casado com Cândida Gonçalves dos Santos;
Bn75 - Abílio Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1882; casado com Julieta da Silva Neiva;
Bn76 - Francisco Mariano de Almeida e Silva, nascido em 1884, e falecido solteiro;

F.5 – Joana da Silva Neiva, casada com o capitão José da Silva Matos, sem descendência;

B – Lourenço da Silva Neiva, casado com Joaquina Ferreira Braga, também filha de Antonio Ferreira Braga e de Josefa Gonçalves Torres. Senhor e possuidor das fazendas do Pouso Alegre, Patrimônio, Bonsucesso e Rodrigues, que foram partilhadas na descendência.

Filhos:

F1 – Andreza da Silva Neiva, nascida em 04/08/1813, sem mais notícias;
F2 – Maria da Silva Neiva, nascida em 26/05/1815, sem mais notícias;
F3 – Joaquina da Silva Neiva, casada em 13/08/1836 com Fortunato dos Reis Andrade; herdou do pai na fazenda Pouso Alegre; filhos:

N1 – João dos Reis Andrade, nascido em 1837;
N2 – Antonio dos Reis Andrade, nascido em 1849;
N3 – Sancho dos Reis Andrade, nascido em 1855;

F4 – Francisca da Silva Neiva, casada com Casemiro Rodrigues Guimarães, falecido em 1867; herdou do pai glebas no Pouso Alegre; filhos:

N4 – Maria Rodrigues Guimarães, com 28 anos em 1867;
N5 – Francisca Rodrigues Guimarães, casada com Domingos Teixeira de Abreu;
N6 – Jesuína Rodrigues Guimarães, com 22 anos em 1867;
N7 – Maria Rodrigues Guimarães, gêmea da anterior, com 22 anos em 1867;
N8 – Teresa Rodrigues Guimarães, com 18 anos em 1867;
N9 – Bárbara Rodrigues Guimarães, com 16 anos em 1867;
N10 – Ana Rodrigues Guimarães, com 14 anos em 1867;
N11 – Martinho Rodrigues Guimarães, com 12 anos em 1867;
N12 – Izabel Rodrigues Guimarães, com 10 anos em 1867;
N13 – Escolástica Rodrigues Guimarães, com 8 anos em 1867;
N14 – João Rodrigues Guimarães, com 6 anos em 1867;
N15 – Manoel Rosa Guimarães, com 5 anos em 1867;
Obs.: idades referidas no inventário do pai.
F5 – Francelina ou Franklina da Silva Neiva, casada com Jacinto Alves Campos; Senhores da fazenda Pouso Alegre; filho:

N16 – Maria Benedita da Silva Neiva, casada com Porfírio Mariano de Almeida, filho do Alferes Joaquim Mariano e Silva e de Maria Rita da Silva Neiva;

F6 – Mariana da Silva Neiva, nascida em 1818 e falecida em 16/06/1881; casada em 15/02/1836 com Mariano de Oliveira Costa, filho de Manoel de Oliveira Costa e de Maria Josefa de Freitas; herdou na fazenda Pouso Alegre; filho:
N17 – Cândido de Oliveira Melo;
Viúva, Mariana da Silva Neiva teve os filhos naturais:
N18 – Antonio da Silva Neiva, casado com Maria de Araújo Ferreira, falecida em 1937, filha natural de Senhorinha de Araújo Ferreira; filhos:

Bn1 – Josino da Silva Neiva, nascido em 15/02/1875;  cursou a extinta Escola Normal; professor primário, escritor, jornalista bissexto, colaborou em diversos jornais da região por longos anos;
Bn2 – José Silvestre da Silva Neiva, casado com Rosita Monteiro da Cunha, filha de José Pedro Monteiro e de Luísa Simões da Cunha;
Bn3 – Augusta da Silva Neiva, casada com José de Oliveira Melo, filho de Cândido de Oliveira Melo e de Joana da Silva Neiva;
Bn4 – Carlos da Silva Neiva, casado com Laura Pereira da Costa, filha de Joaquim Pereira da Costa e de Francelina de Pina e Vasconcelos;
Bn5 – Rosalina da Silva Neiva, casada com João Abrão Guerra;
Bn6 – Carolina da Silva Neiva, casada com David Isaac;
Bn7 – Adelaide da Silva Neiva, casada com Jorge da Silva Neiva, filho de Cecílio da Silva Neiva e de Joana dos Reis Calçado;
Bn8 – Pedro Antonio da Silva Neiva, casado com Joana Ferreira Gonçalves, filha de José Pereira Gonçalves e de Teresa de Sá Guimarães;
Bn9 – Jovina da Silva Neiva, casada com Manoel da Silva Neiva, filho de José Lourenço da Silva Neiva e de Mariana Ferreira Albernaz; senhores das fazendas Pouso Alegre (glebas), Camargos, Tiririca e Cachorro.

N19 – Domingos da Silva Neiva, casado com Izidora Soares Mascarenhas;

F7 – Luisa da Silva Neiva, casada com Romualdo de Sousa Landim, nascido em 15/05/1853; sem descendência; antes do casamento, Luísa da Silva Neiva teve os filhos naturais:

N20 – Coronel José da Silva Neiva, nascido em 27/08/1840 e falecido em 20/11/1928, casado com Maria da Conceição da Silva Neiva, nascida em 19/02/1853 e falecida em 27/07/1886; senhor e possuidor de inúmeras propriedades, dentre elas, as fazendas Pereirinha, Biboca, Mundo Novo em Paracatu, e as fazendas Espanta Porco (Casa Branca), Solitário e São José da Soledade em Cristalina, Goiás.

Filhos:

Bn10 – Bernarda da Silva Neiva, falecida solteira;
Bn11 – Coronel João Crisóstomo da Silva Neiva, nascido em 27/01/1870 e falecido em 17/07/1949; casado com Antonieta de Melo Barbosa, falecida em 1966, filha de Manoel Rodrigues Barbosa e de Adelaide de Melo Franco; senhor e possuidor das fazendas Jambeiro e Teixeiras, em Paracatu.
Bn12 – Elvira da Silva Neiva, falecida solteira;
Bn13 – Tenente Severiano da Silva Neiva, nascido em 1873 e falecido em 27/08/1953, casado com Amélia da Silva Neiva, falecida em 23/01/1970; descendência em A-N4;
Bn14 – Capitão Manoel da Silva Neiva, nascido em 23/01/1878, senhor e possuidor da fazenda Antunes, em Cristalina, Goiás; casado com Antonia de Aquino Neiva;
 Bn15 – Flora da Silva Neiva, casada com o Major Jesuíno de Siqueira Torres, filho de Teófilo Martins de Melo Franco e de Presciliana de Siqueira Torres.
Filhos:
 Tn1 – Floriano da Silva Neiva;
Tn2 – Leontina da Silva Neiva, casada com José Gonçalves de Ulhoa, filho de Antonio Gonçalves de Ulhoa e de Paulina Roriz; filhos:
 Qn1 – Susana da Silva Neiva;
Qn2 – Marta da Silva Neiva;
Qn3 – Carmem da Silva Neiva;

Bn16 – Florinda da Silva Neiva, falecida solteira;
Bn17 – Joaquim da Silva Neiva (seu Quim da Biboca), falecido em 16/04/1950; casado com Izabel de Oliveira Melo Neiva, nascida em 04/07/1881 e falecida em agosto de 1962; senhor e possuidor das fazendas Biboca em Paracatu, e as fazendas Paulista, São José da Soledade e Coruja em Cristalina, Goiás.

Filhos:

Tn3 – Josefina da Silva Neiva, solteira;
Tn4 – Alcides da Silva Neiva, fazendeiro em cristalina, Goiás;
Tn5 – Sebastião da Silva Neiva (Tanico) viveu em sua fazenda Paulista, em Cristalina, Goiás; casou duas vezes:
1ª vez com Alda Jordão de Carvalho; 2ª vez com Arlete Gonçalves Primo; com descendência dos dois leitos;
Tn6 – Maria da Conceição da Silva Neiva, solteira;
Tn7 – Alice da Silva Neiva, casada com José Cândido Camargo;
Tn8 – Antonio Santana da Silva Neiva, fazendeiro;
Tn9 – João Ranulfo da Silva Neiva, fazendeiro;
Tn10 – Joaquim Rosário da Silva Neiva, fazendeiro;
Tn11 – Cândido da Silva Neiva (Candinho Neiva), fazendeiro;
Tn12 – Benedito da Silva Neiva, engenheiro civil;
Tn13 – Maria do Carmo da Silva Neiva, solteira;
Tn14 – Frei Sebastião da Silva Neiva (nome eclesiástico), nascido em 30/06/1899 na fazenda Quebra-Eixo em Paracatu; franciscano, viveu em Lages, Santa Catarina, aonde foi homenageado postumamente com nome de Rua Frei Silva Neiva; foi um polígrafo: romancista, contista, biógrafo, historiador e tradutor, com destaque para sua obra infantil;

N21 – Joana da Silva Neiva, nascida em 17/03/1842, casada com Cândido de Oliveira Melo, nascido em 1835 e falecido em 24/08/1901;
N22 – Capitão Francisco da Silva Neiva, falecido em 10/07/1913; casado com Senhorinha Izidora de Toledo, falecida em 07/08/1933; com descendência;

F8 – Manoel Lourenço da Silva Neiva, nascido em 26/05/1815 e falecido em 28/02/1879; foi casado com Severina da Silva Neiva, filha de João Lourenço da Silva Neiva e de Florinda Rodrigues da Silva, nascida em 1834 e falecida em 26/07/1880; senhor das fazendas Patrimônio, Estiva e Olhos D’água, glebas no Pouso Alegre; filho:
 N20 – Eduardo Sebastião da Silva Neiva, nascido em 1854(?).

Esta é uma obra de genealogia, estando sujeita a correções e acréscimos.

Fontes:
1 – Inventários do acervo do Arquivo Público Municipal de Paracatu:
João Lourenço da Silva Neiva, 2ª Vara, Pasta I – 1959;
Joaquim Lourenço da Silva Neiva, 2ª Vara, Pasta 2;
Carlota da Silva Neiva, 2ª Vara Pasta 1 – 1874;
Francisca da Silva Neiva, 2ª Vara, Pasta 1 – 1867/1868;
Francelina da Silva Neiva, 1ª Vara – I – 09 – 1881;
Joaquim Germano da Silva Neiva, 2ª Vara, caixa 1883;
Maria de Araújo Ferreira, 1ª Vara, caixa I – 47 – 1937;
Izabel de Oliveira Neiva, Processo 439 – 1ª Vara, 1962;
Geraldo de Araújo Caldas, 1ª Vara, Pasta I, caixa I-20
Porfírio Mariano de Almeida e Silva, 2ª Vara, caixa 1886;
João Mariano de Almeida e Silva, 2ª Vara, caixa 1885.

2 – Livros paroquiais da matriz de Santo Antonio da Manga, Paracatu – batismos, casamentos e óbitos, anos diversos.




 











*       


                                                                                                              




 

 




                                                       









                       

           

Postagens mais visitadas

DONA BEJA E O TESTAMENTO DO PADRE

O vigário Francisco José da Silva foi um padre típico do sertão mineiro: fazendeiro abastado, político influente, e mulherengo, como quase todos os padres de seu tempo. Teve participação decisiva na evolução político-administrativo e social da Araxá na época em que lá viveu, entre 1815 e 1845, ano de seu falecimento. Participou, mesmo que discretamente, da Revolução Liberal em Araxá, apoiando seus sobrinhos liberais, liderados pelo coronel Fortunato José da Silva Botelho, no embate político que se travava em Minas nos anos de 1842. Legitimou em cartório em 1831, três filhos, a saber: Pedro Amado de São Paulo, Placidina Maria de Jesus, e Teresa Thomásia de Jesus. Antes, em Dezembro de 1826, ele dita seu testamento escrito pelo advogado paracatuense João de Pina e Vasconcelos, onde declara não ter herdeiros descendentes (sic) e/ou ascendentes por serem falecidos seus pais, e que nomeava como seus herdeiros Antonio Machado de Morais, Pedro Amado de São Paulo, e Teresa Thomásia de Jesus, …

FAMÍLIA GONZAGA

GENEALOGIA DA FAMÍLIA GONZAGA – TRONCO DE PARACATU Essa família iniciou-se em 1790, pelo casamento do Capitão Luiz José Gonzaga de Azevedo Portugal e Castro, fiscal da fundição do ouro em Sabará – Mg, em 1798, no Rio de Janeiro, com Anna Joaquina Rodrigues da Silva, natural do mesmo Rio de Janeiro, e tiveram oito filhos, listados abaixo: F1 – Euzébio de Azevedo Gonzaga de Portugal e Castro; F2 – Platão de Azevedo Gonzaga de P. e Castro; F3 – Virgínia Gonzaga; F4 – Florêncio José Gonzaga; F5 – VALERIANO JOSÉ GONZAGA; F6 – Luiz Cândido Gonzaga; F7 – José Caetano Gonzaga; F8 – Rita Augusta Gonzaga.

F5 - Valeriano José Gonzaga, natural de Curvelo,Mg, nascido em 21.07.1816 e falecido em 1868 em Paracatu, casou em 21.07.1836, com Felisberta da Cunha Dias, nascida em 15.08.1821 e falecida em 10.08.1910, natural de Curvelo; foi nomeado Tabelião de Paracatu, tendo mudado para o lugar em 1845, aonde tiveram os filhos: N1 - Eusébio Michael Gonzaga, natural de Curvelo, nascido em 21.07.1842 e falecido em 04…

DONA BEJA E OS BOTELHOS DE PARACATU

Muito se tem falado no âmbito familiar e fora dele, acerca de possível parentesco consangüíneo ou por afinidade entre Dona Beja e a família Botelho de Paracatu, ao longo de décadas. Essa dúvida, real ou proposital trazida pelos mais velhos, receosos da veracidade do parentesco com a mitológica personagem da história de Araxá, e que levou um dos nossos velhos tios, já falecido, a dizer peremptoriamente certa vez: “Eu não sou parente de uma cortesã”, persiste até os dias atuais.
Ana Jacinta de São José, a mitológica Dona Beja, nasceu em Formiga, Minas Gerais, por volta de 1800, filha natural de Maria Bernarda dos Santos e de pai ignorado. Chegou ao então florescente julgado de São Domingos do Araxá ainda menina, acompanhando a mãe e o irmão Francisco Antônio Rodrigues, talvez à procura de melhores condições de vida, já em princípios deste século dezenove. Segundo alguns historiadores, ela tornou-se uma mulher bonita, de cabelos e olhos claros, que chamava a atenção dos homens do lugar, i…

OS SANTANA DE PARACATU - MG

Texto José Aluísio Botelho
Pesquisas Eduardo Rocha 
Colaboração Mauro César da Silva Neiva


Família iniciada em Paracatu com o casamento do tenente Joaquim José de Santana e Dona Maria Peixoto. Não descobrimos a data em que se deu o enlace, bem como não sabemos a naturalidade e ascendência do casal. Filho descoberto:
1 – Capitão João José de Santana, nascido por volta de 1814, pouco mais ou menos, criado e educado com esmero pela tia paterna Dona Florência Maria de Santana, tornou-se um rico capitalista, comerciante na Rua do Calvário e fazendeiro; foi vereador do município; falecido em abril de 1895. Esparramado genearca, casou três vezes, deixando 14 filhos dos três leitos.
Com Luiza de Jesus de Afonseca Costa, nascida em 21/06/1816, filha de Antonio Joaquim da Costa, falecido em Araxá aos 31/12/1839, e de Caetana de Afonseca e Silva, 

  teve os filhos:

1.1 - Maria Luisa de Santana, falecida em 16/06/1920. Foi casada com Antonio Eugênio de Araújo, nascido em 01/10/1830 e falecido em 24/04/…

O CAPITÃO MANOEL PINTO BROCHADO E SEUS DESCENDENTES

PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 23 - SOARES CHAVES

Por Eduardo Rocha
Introdução (texto escrito por José Aluísio Botelho)
Soares Chaves – sobrenome originário da ilha de Santa Maria, Açores.
Antonio Soares Chaves, natural da freguesia de Santo Espírito, Município da Vila do Porto, ilha de Santa Maria, Açores, passou as partes do Brasil na década de 1730, fixando em região mineradora no norte da capitania de Minas Gerais. A primeira notícia sobre ele, foi um documento de compra de um sítio em Rio das Pedras, distrito do Serro do Frio, datado de 1736; em 1739 ele requer e obtém carta de sesmaria do dito sítio, com quarto de légua em quadra. Só iremos encontrá-lo novamente em 1751, já morador no arraial de Paracatu, no sopé da serra da Contagem, região do ribeirão São Pedro, onde estava afazendado e vivia de sua roças, e fabricava telhas; o documento em tela se trata de um volumoso processo de devassa movido contra ele por juramento falso, injúria e difamação, decorrentes de uma pendenga de dívida não paga, de uma sorte de telhas feitas por …