Pular para o conteúdo principal

CASAIS PIONEIROS NO ARRAIAL DO OURO - MINAS DO PARACATU



 Por José Aluísio Botelho 


Devido à falta de fontes primárias do arquivo da matriz de Santo Antonio da Manga de Paracatu, com o sumiço dos livros paroquiais, bem como a fragmentação dos existentes, notadamente do século dezoito, não se consegue elaborar na sua plenitude, a descendência de diversas famílias lá geradas pelos casamentos ou pelo concubinato. Famílias estas, formadoras da pirâmide social sob o ponto de vista político e econômico, do tipo social relativo à cor da pele, notadamente a partir do processo miscigenatório, que lá se iniciou já no núcleo povoador primitivo. Importante também salientar, que a maioria absoluta do homem branco europeu que acorreram às Minas do Paracatu, era composta de portugueses do norte do país, da região do Minho; não menos importante, foi a migração interna, desde o homem branco paulista, até o homem já mestiço vindo de regiões mineradoras exauridas do norte da capitania mineira, como Serro do Frio, Vila do Príncipe e Minas Novas, e também da Bahia. Por fim, num esforço intelectual, aproveitamos os dados colhidos, para disponibilizar a relação de alguns casais e de filhos esparsos encontrados em tais documentos, e que complementa trabalho anterior.

 ANTONIO SOARES PAIS E ANA MARIA LEME
Casal de origem paulista. Capitão Antonio Soares Paes  natural de Itu, foi para Goiás, em busca do ouro. Encontramos suas pistas: casou em Vila Boa de Goiás com Ana Maria Leme, natural dali, mas, também com origem paulista, e lá tiveram filhos. Em exercício dedutivo, é bastante provável que Antonio Soares Pais, acompanhou Felisberto Caldeira Brant rumo as recém descobertas minas de Paracatu, e de lá, para Diamantina na mesma comitiva, quando Felisberto arrematou o contrato de Diamantes em 1748. Localizamos cinco filhos do casal, sendo que três deles nasceram em Vila Boa de Goiás, e outro nascido nas Minas do Paracatu, bem como seus casamentos e alguns filhos:
1 – Ana Maria Leme, casada com Antonio Neto Carneiro Leão, natural de São Tiago de Carvalhosa, Paços de Ferreira, Município do Porto, filho de Francisco Carneiro Leão e Maria Neta; este casal, pelos seus descendentes, legou seu sangue à Nobiliarquia Brasileira, exemplificado no Marques de Paraná, Honório Hermeto Carneiro Leão. Visite neste blog – Carneiro Leão
2 – Teresa Soares Paes, casada com Custódio Pinheiro da Costa, com descendência em Paracatu; vide Costa Pinheiro - Pinheiro da Costa, item 2
3 – Maria Soares Paes, casada com o tenente José de Sousa Lisboa, natural da freguesia de Conceição Nova da cidade e patriarcado de Lisboa, filho legítimo de Simão de Sousa, natural de Molelos, Concelho de Besteiros, distrito de Viseu, e de Suzana Ferreira, natural de São Pedro de Alfama, Lisboa. 
Nota: deriva deste casal os sobrenomes Sousa Soares e Sousa Lisboa.
Filhos conhecidos:
3.1 – Joaquina de Sousa Soares, batizada em 20/08/1761 na Matriz da Manga. Casou duas vezes: 1ª vez com Ventura Pereira dos Santos; 2ª vez, já cinquentenária com o Capitão Manoel Pinto Brochado, sem descendência de nenhum dos leitos;
3.2 – Ana de Sousa Soares, batizada em 08/04/1766;
4 – *Guarda mor Felisberto Soares da Costa, nascido no Arraial das Minas do Paracatu. Viveu no Tijuco (Diamantina), aonde casou com Maria Vitória da Conceição, natural de Araçuaí, à época bispado da Bahia; filhos descobertos:
4.1 – Ana Vitória Soares, nascida em 30/04/1791, com descendência;
4.2 - Jacinta Vitória Soares, nascida em 03/04/1793, solteira sem descendência;
4.3 - Alferes Felisberto Soares Paes Leme, nascido entre 1794/1795; casado com uma sobrinha de nome ignorado, com descendência;
4.4 - Maria Isidora Soares Leme,, nascida em 1797, sem mais notícias;
4.5 -Silvéria Celestina Soares, batizada em24/08/1799, solteira e sem descendência;

 4.6 – José Paes Leme da Costa, nascido em 16/01/1801; sem descendência;
4.7 - Rosaura Simplícia Soares da Costa, , nascida em 1803, solteira, sem descendência;
4.8 - Antonia Thereza Soares, solteira, sem descendência.
*Arquidiocese de Diamantina – Livro paroquial da Capela de Santo Antonio do Tijuco, 1791 – 1806; Biblioteca Antonio Torres, acervo; dados fornecidos pelo Dr. Fernando Paes Leme, descendente do casal acima.

5 - Ana Izabel Soares Paes, sem mais notícias. 

 PEDRO LEME DA SILVA E GERTRUDES RODRIGUES DE ALMEIDA
Pedro Leme da Silva, natural da vila de Jundiaí, São Paulo, filho de Antonio Leme do Prado (citado por Silva Leme, título Prados), de Jundiaí e de Maria de Abreu do Prado, natural da vila Parnaíba, São Paulo. Casou em Vila Boa de Goiás com Gertrudes Rodrigues de Almeida, ali nascida e batizada, filha de Antonio de Almeida, natural da cidade de Braga, Portugal, e de Teresa Cubas Rodrigues, da vila de Parnaíba. De Vila Boa rumaram para as Minas do Paracatu, e se estabeleceram, em primeiro no arraial da Lagoa, e posteriormente na Ribeira do Rio Preto, na sesmaria do Bom Jardim, aonde tiveram e criaram seus filhos descobertos:
1 – Ana Maria Leme do Prado, casada com Antonio José Cabral, ambos naturais da freguesia de Santo Antonio da Manga das Minas do Paracatu; filha descoberta:
1.1 -Antonia, nascida em 30/08/1774;

2 - Manoel, batizado em 31/03/1765;
3 – Teresa Leme, nascida em 20/04/1775;
4 - Pedro Leme da Silva, casado em 1787 com Ana Cardoso.

JOSÉ VICENTE DE LIMA E MARIA GONÇALVES LEME
José Vicente de Lima, natural de Ponte de Lima, Viana do Castelo, Portugal, filho legítimo de João Vicente de Lima, natural dali, e de Apolônia Maria, natural de Lisboa, casado no arraial de São Luiz e Santana com Maria Gonçalves Leme, filha legítima de João Gonçalves Pena e de Maria Leme de Leão, naturais da vila de Itu, São Paulo. Filhos descobertos:
1 – Antonia, nascida em 05/10/1774;
2 – Tomaz, batizado em 22/03/1776;
3 – Maria, nascida em 24/02/1777.

 FERNANDO JOSÉ DA CUNHA E LUIZA PEREIRA
Fernando José da Cunha, natural de Romarigães, Paredes de Coura, Viana do Castelo, filho de Pedro Fernandes e de Maria Afonso, casou nas minas com Luiza Pereira, natural do arraial de São Luiz e Santana das Minas do Paracatu, filha de Lauriano Pereira Maia e de Tereza Pereira. Filho descoberto:
1 - José, batizado em 26/06/1764.

 *MANOEL PACHECO DE SOUSA E ANA MARIA
Manoel Pacheco de Sousa, natural da ilha de São Miguel, Açores, filho de Antonio Pacheco de Sousa e de Luiza Vieira, casou nas minas com Ana Maria Ferreira, natural das minas, filha natural de Maria Ferreira e pai incógnito. Filhos:
1 – Violante Ferreira, casada com José Carvalho da Cunha;
2 - José, batizado em 17/09/1764.
*O sobrenome perpetuou no município de João Pinheiro, MG.
 SILVESTRE RIBEIRO DE MIRANDA E RITA MARIA DE CASTRO
Silvestre Ribeiro de Miranda, natural da freguesia de Santão, Felgueiras, Arcebispado de Braga, filho de Domingos Ribeiro e Ana Ribeiro, casou nas minas com Rita Maria de Castro, natural do arraial de Traíras, capitania de Goiás, filha do sargento mor Bento José e de Maria Vaz de Castro. Filho descoberto:
1 - Ana, batizada em 18/11/1764.

 MANOEL DE SOUSA LUCIANO E LUCIANA DA COSTA DA CONCEIÇÃO
Casal oriundo da vila de Santo Antonio do Urubu, bispado da Bahia, que acorreu para as minas. Os filhos descobertos são naturais e batizados na dita vila do Urubu.
1 – Felipa de Sousa Santana Costa, casada nas minas com Manoel Francisco Duarte, natural de São Cristóvão da Macinhata, bispado de Coimbra, filho de Simão Francisco Duarte e de Josefa Marques da Silva. Filhos descobertos:
1.2 - Bento, batizado em 02/12/1764;
1.3 – Antonio, nascido em 17/01/1776;
2 – Luciana de Sousa, casada nas minas com José Caetano de Sousa, natural de São Gonçalo do Amarante, bispado do Porto, filho de João Coelho e de Maria Pinto. Filho descoberto:
2.1 - Antonio, batizada em 1765;
3 – Domingas de Sousa Costa, casada nas minas com Pedro Antonio Manço, natural da Bahia, filho de Antonio da Mouraria Lobo, natural de Lisboa e de Francisca Rodrigues de Almeida, natural do Alentejo. Filho descoberto:
3.1 - Antonia, batizada em 21/06/1766.

 MANOEL GONÇALVES DE NORONHA E ROSA GOMES DE SÁ
Manoel Gonçalves de Noronha, natural de São Salvador da Rossas, Vieira do Minho, Braga, filho de André Gonçalves e de Serafina Francisca de Noronha, casou nas minas com Rosa Gomes de Sá, natural da freguesia de Nossa Senhora dos Remédios de Arraias, bispado do Pará (atualmente em Goiás), filha de Jerônimo Gomes de Sá, português e de Francisca Gomes de Sá. Filhos descobertos:
1 - Manoel, batizado em 28/01/1765;
2- Antonio, nascido em 15/10/1771;
3 - Luciano, batizado em 17/10/1774.

 CUSTÓDIO JOSÉ COIMBRA E ANA FRANCISCA DA PUREZA
Custódio José Coimbra, natural da freguesia de Santa Maria das Duas Igrejas, Concelho de Paredes, bispado do Porto, filho de Manoel Mendes e de Joana Coelha, casou nas minas com Ana Francisca da Pureza, natural de Goiás, filha do português Paulo Francisco Guimarães e de Eufrásia Cardoso. Filhos descobertos:
1 - Joaquim, batizado em 08/11/1758;
2 - Custódia, batizada em 08/04/1765;
3 - Manoel, batizado em 20/06/1767.

 ALFERES JOSÉ RODRIGUES DA SILVA E JOANA DE SOUSA PEREIRA
O alferes José Rodrigues da Silva, natural de Vila Rica, foi homem abastado no arraial de São Luiz e Santana das Minas do Paracatu; notadamente nas décadas de 1750 e 1760, exerceu os principais cargos de governança do arraial. Casou por lá, com Joana de Sousa Pereira. Filhos descobertos, naturais da freguesia da Manga das Minas do Paracatu:
1 - Joaquina, batizada em 23/01/1758;
2 - Vitória Rodrigues da Silva, casada com Cosme do Amaral do Rego, filho Felipe do Amaral do Rego, português e de Quitéria das Neves, natural da freguesia da Manga.
 MANOEL MARTINS DE ABREU E BÁRBARA MARTINS
Manoel Martins de Abreu, natural de São Pedro de Roriz, Santo Tirso, distrito do Porto, filho de João de Abreu e Ana Martins, casou nas minas com Bárbara Martins, natural do Serro do Frio, filha de Bento Ferreira Bastos, natural de São Martinho de Val de Burros, Lamego e de Joana Martins Viana. O casal deixou numerosa descendência na região onde é hoje o município de Unaí, Minas Gerais. Filhos descobertos:
1 – Maria, batizada em 13/05/1772;
2 – Manoel, nascido em 17/03/1775.
3 – Ana, batizada em 01/01/1777.
 ANTONIO JOSÉ CABRAL E ANA DE SOUSA CAMELO
Antonio José Cabral, natural da Sé da cidade de Angra do Heroísmo, ilha Terceira, Açores, filho de Francisco Martins Sodré e de Francisca Estácia, da ilha do Faial, casou nas minas com Ana de Sousa Camelo, natural de Nossa Senhora da Conceição das Almas, Arcebispado da Bahia, filha de Mateus Fernandes, da Ilha Terceira e de Josefa Maria da Trindade. Filho descoberto:
1 - Vicente, nascido em 27/09/1765.

 ÂNGELO DE LEÃO E DOMINGAS GONÇALVES
Ângelo de Leão, natural da cidade de São Paulo, filho de Guilherme de Oliveira e de Mariana de Leão, casou nas minas com Domingas Gonçalves, nascida na Vila de Sabará, e batizada na Roça Grande, bispado de Mariana, filha de Mateus Gonçalves e de Ana Reimão. Filho descoberto:
1 - Maria, batizada em 28/02/1765.

 ANTONIO FERREIRA GUIMARÃES E ANA MARIA DE SÃO JOSÉ
Antonio Ferreira Guimarães, natural da freguesia de Mesão Frio, termo de Guimarães, Braga, filho de João Ferreira e de Margarida Mendes, casou nas minas com Ana Maria de São José, natural de Sabará, filha de Antonio Machado e de Francisca Rodrigues da Conceição. Filhos descobertos:
1 – Agostinha Ferreira Guimarães;
2 - Antonio, batizado em 08/04/1767;
3 - Antonia, nascida em 05/07/1771;
4 – Antonio, o segundo do nome, nascido em 17/01/1774;
5 – Dionísia, nascida em 05/10/1777;
José – Exposto.

 ANTONIO SOARES DE ARAGÃO E ANTONIA MARIA DOS REIS DE JESUS
Casal estabelecido na região do Urucuia, freguesia da Manga das Minas do Paracatu. Filhos:
1 – Mateus dos Reis de Aragão, casado com Luisa dos Reis Sol, filha de Manoel da Silva Reis e de Ana Izabel Sol. Filha descoberta:
1.1 - Maria, batizada em 29/10/1771;
2 – Antonia Maria;
Irmão de Antonio: Estevão Soares de Aragão, morador no sítio da Ribeira de São Pedro.

 MANOEL FERRAZ DE BRITO IZABEL MARIA DA CONCEIÇÃO
Natural da Vila de Viana, Viana do castelo, Portugal, filho de João Ferraz de Brito e de Joana Pereira, casado nas minas com Izabel Maria da Conceição, natural dali, filha de Antonio Pereira da Fonseca, também nascido na freguesia da Manga do Paracatu, e de Maria Gonçalves, natural da freguesia de Santo Antonio do Curvelo. Filho descoberto:
1 - Maria, batizada em 29/05/1774.

 ANTONIO FURTADO DE MENDONÇA E TERESA MARIA DO CARMO
Antonio Furtado de Mendonça, filho de Francisco Furtado de Mendonça e de Francisca Luiz, todos naturais da Ilha do Faial, Açores, casado na Manga das Minas do Paracatu com Teresa Maria do Carmo, filha de José Gonçalves Chaves e de Maria Gonçalves. Filho descoberto:
1 – Rosa, nascida em 02/06/1774.

 RAIMUNDO DE BARROS LIMA E RITA PESSOA DE VASCONCELOS
Casal tronco de importante família paracatuense, ambos de naturalidade desconhecida. Filha descoberta:
1 – Micaela Pessoa de Vasconcelos, casada com Marcos Pereira de Sousa, filho de Manoel Coelho Duarte e de Quitéria de Sousa Leal. Filho descoberto:
1.1 – Felizardo, batizado em 20/05/1775.

 FRANCISCO DA MOTA PINTO E FELIPA XAVIER DA CUNHA
Francisco da Mota Pinto, filho de Antonio da Mota Pinto e de Maria Vieira da Mota, naturais de Marco de Canavezes, bispado do Porto, casado nas minas com Felipa Xavier da Cunha, filha de Francisco Xavier da Cunha e mãe de nome ignorado. Filho descoberto:
1 – Ana, batizada em 05/08/1775.

 DOMINGOS FERREIRA SOUTO E SUA MULHER CUJO NOME SE IGNORA.
1 - Rita Ferreira Souto, casada com Francisco Pereira de Carvalho;
Filho:
1.1 – Gonçalo, batizado em 22/11/1776;
2 – Rosa Ferreira Souto, casada com José Martins Torres, filho de Inácio Jorge Torres, natural da região do Porto e de Maria Cardoso, natural da cidade do Rio de Janeiro. Filho descoberto:
2.1 – Inácio, batizado em 13/12/1774;
 3 - padre Salvador Ferreira Souto.

 GONÇALO DE OLIVEIRA BARREIROS E MARIA GONÇALVES DO NASCIMENTO
A descendência se fixou principalmente  na região de Guarda Mor. Gonçalo foi filho legítimo de Joaquim de Oliveira Barreiros e de Antonia Vieira da Conceição; sua mulher Maria, filha de José de Andrade de Resende e de Ana Gonçalves. Filho descoberto:
1 – Ana, batizada em 11/05/1777.

 **ANTONIO LOPES DA TRINDADE E MARIA DOS SANTOS DE OLIVEIRA
Viveram, tiveram e criaram os filhos na Ribeira de São Pedro. Antonio Lopes da Trindade, nascido e batizado na vila Marinha, freguesia de Vila Nova de Gaia, bispado do Porto, filho de Manoel Lopes de Sá, natural da freguesia de Esmoriz, Concelho de Ovar, distrito de Aveiro, e de Teresa Bernardina, natural de Vila Marinha. Casado nas minas com Maria dos Santos de Oliveira, nascida ali, filha de Manoel Ribeiro dos Santos, natural de Lamego e de Teresa Maria de Jesus, natural das minas. Filho Descoberto:
1 – Teresa, nascida em 10/10/1775.
**Descende deste casal por via materna, o professor Olímpio Michael Gonzaga, autor do livro “Memória Histórica de Paracatu”.

“Esta é uma obra de genealogia, estando, portanto, sujeita a correções e acréscimos”.
Fontes:
1 – Arquivo Público Municipal de Paracatu: livro de registros paroquiais da matriz de Santo Antonio da Manga, incompletos e/ou fragmentados, no período de 1758 a 1772;
2 – Arquivo da matriz de Santo Antonio da Manga – registros de batismos, incompletos, no período de 1774 e 1777.







Postagens mais visitadas

OS SANTANA DE PARACATU - MG

Texto José Aluísio Botelho
Pesquisas Eduardo Rocha 
Colaboração Mauro César da Silva Neiva


Família iniciada em Paracatu com o casamento do tenente Joaquim José de Santana e Dona Maria Peixoto. Não descobrimos a data em que se deu o enlace, bem como não sabemos a naturalidade e ascendência do casal. Filho descoberto:
1 – Capitão João José de Santana, nascido por volta de 1814, pouco mais ou menos, criado e educado com esmero pela tia paterna Dona Florência Maria de Santana, tornou-se um rico capitalista, comerciante na Rua do Calvário e fazendeiro; foi vereador do município; falecido em abril de 1895. Esparramado genearca, casou três vezes, deixando 14 filhos dos três leitos.
Com Luiza de Jesus de Afonseca Costa, nascida em 21/06/1816, filha de Antonio Joaquim da Costa, falecido em Araxá aos 31/12/1839, e de Caetana de Afonseca e Silva, 

  teve os filhos:

1.1 - Maria Luisa de Santana, falecida em 16/06/1920. Foi casada com Antonio Eugênio de Araújo, nascido em 01/10/1830 e falecido em 24/04/…

CONEXÃO PARACATU/ARAXÁ: ENTRELAÇAMENTO DAS FAMÍLIAS BOTELHO – JOSÉ DA SILVA – AFONSO DE ALMEIDA - MACHADO DE MORAES E CASTRO - PACHECO DE CARVALHO

Por José Aluísio Botelho A LONGA JORNADA O Tenente Gregório José da Silva e Dona Tereza Tomásia de Jesus Botelho, se encontraram em 1768 na região denominada Campo das Vertentes, MG, ele nascido na região, ela vinda de muito longe em uma longa jornada, desde a ilha Graciosa no Arquipélago dos Açores, concessão portuguesa no oceano Atlântico, passando pelo Rio Grande do Sul, e que se prolongaria até Araxá, no sertão da Farinha Podre. Depois de casados, o casal se fixou primeiramente em São José Del-Rei, aonde nasceram os dois primeiros filhos, de um total de doze. Militar de carreira, recebeu a patente de tenente em 1775, e foi caminhando com família em direção ao oeste promissor, a medida que o ciclo do ouro no Campo das Vertentes ia se esgotando. De São José, estabeleceu na chamada picada de Nossa Senhora de Oliveira, com fazenda de criar gado vacum, e na medida do avançar dos anos, iam nascendo os filhos. Pois bem, todos criados e já na idade adulta, o mais velho ordenado padre, os d…

DONA BEJA E O TESTAMENTO DO PADRE

O vigário Francisco José da Silva foi um padre típico do sertão mineiro: fazendeiro abastado, político influente, e mulherengo, como quase todos os padres de seu tempo. Teve participação decisiva na evolução político-administrativo e social da Araxá na época em que lá viveu, entre 1815 e 1845, ano de seu falecimento. Participou, mesmo que discretamente, da Revolução Liberal em Araxá, apoiando seus sobrinhos liberais, liderados pelo coronel Fortunato José da Silva Botelho, no embate político que se travava em Minas nos anos de 1842. Legitimou em cartório em 1831, três filhos, a saber: Pedro Amado de São Paulo, Placidina Maria de Jesus, e Teresa Thomásia de Jesus. Antes, em Dezembro de 1826, ele dita seu testamento escrito pelo advogado paracatuense João de Pina e Vasconcelos, onde declara não ter herdeiros descendentes (sic) e/ou ascendentes por serem falecidos seus pais, e que nomeava como seus herdeiros Antonio Machado de Morais, Pedro Amado de São Paulo, e Teresa Thomásia de Jesus, …

GUARDA-MOR JOSÉ RODRIGUES FRÓES

OS MELLO FRANCO

Família de origem portuguesa, cujo fundador no Brasil, João de Melo Franco, se fixou em Paracatu por volta de 1755. Era natural da freguesia de Nossa Senhora da Purificação, lugar de Bucelas, patriarcado de Lisboa, filho legítimo de José da Costa Franco e de sua mulher Paula Maria de Oliveira. Nasceu a 7 de outubro de 1721, e faleceu em Paracatu em 1796. Casou aí, com sua parenta Ana de Oliveira Caldeira, natural de Cotia, São Paulo, onde nasceu a 5 de abril de 1739, filha legítima de Antonio de Oliveira Caldeira, nascido a 24 de setembro de 1708 em Santos e de Josefa Nunes da Costa, nascida a 26 de fevereiro de 1722 em Cotia.Tiveram os seguintes filhos:

1 – Francisco de Melo Franco, nascido a 17 de Setembro de 1757 em Paracatu, Minas Gerais. Formou em medicina na Universidade de Coimbra em 1786 e tornou-se um dos mais importantes médicos na corte portuguesa em sua época: o Alvará de 09 de junho de 1793, de D. Maria I, nomeou-o médico honorário da Real Câmara e o Alvará de 03 de agosto…

OS ROCHA DE ÁGUA BRANCA, ALAGOAS À PARACATU, MINAS GERAIS

José Aluísio Botelho
Eduardo Rocha*

O Major da Guarda Nacional Manoel Caetano Pereira da Rocha foi o iniciador da família em Paracatu.

 Natural de Água Branca, estado de Alagoas, aonde nasceu em 1844, filho de Caetano Pereira da Rocha e de Maria Rita da Conceição.Veio para Paracatu em 1869, com pouco mais de vinte anos, recomendado ao seu parente o cônego Miguel Arcanjo de Siqueira Torres, também natural de Água Branca, vigário geral da freguesia de Santo Antonio da Manga de Paracatu desde 1845, pouco mais. Era, portanto, aparentado dos Siqueira Torres que também vieram para a região, principalmente para o então distrito de Capim Branco, hoje Unaí. Manoel Caetano ao longo dos anos teve êxito nos negócios, participando ativamente da vida política e social da cidade; ocupou cargos de vereança, foi agente executivo municipal entre 1892 e 1894, bem como chefe político do Partido Liberal aliado aos seus conterrâneos Siqueira Torres, em oposição ao Partido Republicano chefiado pelo Dr. Sérgio …