Pular para o conteúdo principal

PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 20 - OLIVEIRA BARREIROS



Por Eduardo Rocha
Colaboração José Aluísio Botelho



Oliveira Barreiros – sobrenome composto, pioneiro no arraial de Paracatu. Encontramos o casal Joaquim de Oliveira Barreiros e Antonia Vieira da Conceição, citados como pais de um certo Gonçalo de Oliveira Barreiros que batiza uma filha chamada Ana em 1777. Porém, não conseguimos descobrir a naturalidade de ambos, nem vinculá-los aos troncos genealógicos adiante apresentados, por absoluta falta de documentos de fontes primárias, tais como: inventários/testamentos, livros paroquiais etc., que comprovassem o vínculo parental direto.

1. Gonçalo de Oliveira Barreiros, falecido em 13/05/1841; casado com Ana Maria das Neves;

Inventário: 2ª Vara cx.1846.

Filhos:

1.1 João Batista de Oliveira, 38 anos no inventário do pai; falecido em 26/10/1866; casado com Antonia Pereira de Brito; falecida em 19/10/1862; residentes na fazenda Palmital.
Inventário: 2ª Vara cx. 1864-A.

Filhos:

1.1.1 Eleutéria Batista de Oliveira Barreiros, casada com Joaquim Alves de
Figueiredo, ele filho do finado Manoel Alves de Figueiredo; casamento
realizado em 24/07/1856 na fazenda denominada Olhos D'água, na ribeira
do Rio Preto; residentes na fazenda Palmital.
1.1.2 Eudóxia Pereira de Brito, 21 anos, solteira; residente na fazenda Palmital;
1.1.3 Maria de Oliveira Barreiros, 19 anos; casada com Antonio Lemos do Prado; residentes na fazenda Palmital;
1.1.4 Carolina de Oliveira Barreiros, 17 anos; casada com Manoel José Leandro;
residentes na fazenda Palmital.
1.1.5 Teodorita de Oliveira Barreiros, 10 anos, solteira; residente na fazenda Palmital;

1.2 Maria Gonçalves (ou Maria de Oliveira Barreiros), 40 anos; casada com José Monteiro da Silva;

Filhos:
1.2.1 Jorge Monteiro da Silva, casado com Ana de tal;

1.2.2 Feliciano Monteiro da Silva, casado com Antonia de tal;

Maria de Oliveira Barreiros teve com Anastácio Fernandes de Sousa,

falecido solteiro em 24/02/1861, os filhos naturais declarados em 

testamento anexado ao inventário: 1ª Vara cx. I-04.
Trecho do testamento: "Em nome de deos amem.
Eu Anastacio Fernandes de Sousa Estando são, em meo perfeito juizo,
resolvi fazer o meo testamento pela forma e maneira seguint
e: sou
catholico romano, creio em tudo quanto se crê e ensina a santa igreja
catholica de roma. sou solteiro e neste estado tive quatros filhos
naturais
havidos de Maria Oliveira Barreiros, mulher, viuva, sendo os
seos nomes seguintes= Catharina de Oliveira casada presentemente com
Nicolau de Oliveira Barreiros, Theodora de Oliveira que se acha casada
com José Porfírio de Araújo, Manoel e Antonio; aos quais meos filhos
os instituos herdeiros universais de meos bens....e por esta forma hei
por findo o meu testamento, por elle revogo qualquer outro que antes
deste tenha feito o qual vai por mim somente assignado.

declaro que os ditos meus quatro filhos não são naturais, mas sim
Adhuterinos havido da dita Maria de Oliveira Barreiros não no estado de
viuves, mas sim quando era casada e estava apartada de seo marido Jose
Monteiro dos Santos.....Cidade de Paracatu oito de agosto de mil oito centos e cincoenta e tres."




1.2.3 Teodora de Oliveira Barreiros, casada com José Porfírio de Araújo;
Casamento:"Aos quatro de julho de mil oito centos e quarenta e oito na capella
do Amparo que interinamente serve de matriz desta
freguesia de Santo
Antonio da Manga
cidade de Paracatu, Bispado de Pernambuco, corridos
os banhos, sem impedimento, e preparados com os sacramentos da
penintencia e euchristia, em presença do reverendo vigario geral
Bernardo de Araújo Ferreira, por comissão parochial, se receberão em
matrimonio por palavras de presente= Jose Porfírio de Araújo, pardo,
De idade de vinte e seis annos, que vive de lavoura, filho legitimo de
Matheus de Araújo
e Anna Maria de Faria, já defuntos, com Theodora de
Oliveira Barreiros, parda de idade de treze annos, filha legitima de
Gonçalo,
digo, filha natural de Maria de Oliveira Barreiros, todos
desta
freguesia, e lhes deo as bençoens nupliciais na forma do ritual
romano, observando em tudo o rito e disposiçoens canonicas: cujo
assento assignado pelo dito reverendo vigario geral, e pelas
testemunhas João Baptista de Oliveira e Pedro Xavier Marques, aqui
transcrevo e assigno. O parocho interino Jose de Moira Barbosa"

Filha descoberta:

1.2.3.1 Eulália Porfírio de Araújo, falecida em 29/04/1940; casada com Marçal de Oliveira Barreiros, falecido em 12/09/1939. Partes nas fazendas: Barra do Paiol, Nolasco e Buriti do Bernardo.
Inventário: 2ª Vara cx.1943 - A.

Filhos:
1.2.3.1.1 Benedito Porfírio de Araújo;

1.2.3.1.2 Januário Porfírio de Araújo;

1.2.3.1.3 Manoel Venâncio Fernandes;

1.2.3.1.4 Estevão de Sousa;

1.2.3.1.5 Teotônio Porfírio de Araújo, falecido;

1.2.4 Manoel de Oliveira Barreiros casado com Maria Mendes Santiago; filha descoberta:

1.2.4.1 Teodora de Oliveira Barreiros (sobrinha), casada em 31/06/1889 com Antonio de Araújo Vasconcelos, filho natural de Maria de Araújo Vasconcelos.

1.2.5 Catarina Fernandes de Sousa, falecida em 25/04/1905;
Inventário: 1ª Vara cx. I-18.

Casou duas vezes:
1º matrimônio com Raimundo Pereira de Toledo, falecido em 13/05/1847;
Inventário: 2ª Vara cx. 1852-53.

2ºmatrimônio com Nicolau de Oliveira Barreiros, com descendência em 1.10, adiante.

Filhos do primeiro casamento:

1.2.5.1 Porfíria Izidoro de Toledo, casada com Ildefonso de Oliveira Barreiros;

1.2.5.2 Antonio, 5 anos; Antonio Izidoro de Toledo, casado com Miguelina de Oliveira Barreiros;

Filhos:

1.2.5.2.1 Marinho Izidoro de Toledo, 42 anos; residente na fazenda Palmital;

1.2.5.2.2 Bernarda Izidoro de Toledo, 38 anos; casada com João Reis; residente na fazenda Carrapato;

1.2.5.2.3 Justino Izidoro de Toledo, já falecido; casado com Júlia da Cruz dos Reis; moradores na fazenda Dobeira.

Filhos:

1.2.5.2.3.1 Luíza Izidoro de Toledo, 17 anos, solteira;

1.2.5.2.3.2 Januária Izidoro de Toledo, 15 anos, solteira;

1.2.5.2.3.3 Raimunda Izidoro de Toledo, 13 anos, solteira;

1.2.5.2.3.4 Antonia Izidoro de Toledo, 11 anos, solteira;

1.2.5.2.3.5 Estevam Izidoro de Toledo, 7 anos, solteiro;

1.2.5.2.3.6 Ignez Izidoro de Toledo, 34 anos; casada com Nicolau Dantas Netto; residentes na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.3.7 Senhorinha Izidoro de Toledo, 30 anos; falecida em 07/08/1924; partes na fazenda Nolasco.
Inventário: 2ª Vara cx.1940.
Com Francisco da Silva Neiva, teve os seguintes filhos abaixo nomeados:
Trecho do inventário de Francisco:
Bernardo Caparucho de Melo Franco, escrivão do 1º Oficio da Comarca
de Paracatu, na forma da lei, etc.
“Certifico , a pedido, que revendo em meu cartorio os autos do
inventario dos bens com que faleceu Francisco da Silva Neiva, deles, à
folha 5 consta o titulo de herdeiros do teor seguinte: " termo de
titulos de herdeiros. na mesma data e logar, declarado no termo retro,
pelo inventariante, Estacio Soares de Oliveira, foi dito que o
inventariado Francisco da Silva Neiva faleceu com a idade de setenta
e quatro anos; e que sempre foi solteiro, deixando como seus herdeiros
os seus filhos legitimados e testamenteiros havidos de Senhorinha
Izidoro de Toledo, mulher solteira e sem impedimento algum,
seguintes..."

1.2.5.2.3.7.1 Izidora da Silva Neiva, nascido em 02/01/1896; casada com Tiago Soares Lanhoso; residentes na fazenda Creolas;

1.2.5.2.3.7.2 Marciano da Silva Neiva, nascido em 11/08/1899, solteiro.

1.2.5.2.3.7.3 Basileu da Silva Neiva, nascido em 23/05/1901;

1.2.5.2.3.7.4 Cipriano da Silva Neiva, nascido em 12/10/1905;

1.2.5.2.3.7.5 José da Silva Neiva Sobrinho, nascido em 16/07/1907;

1.2.5.2.3.7.6 Francisco da Silva Neiva Filho, nascido em 16/06/1909;


1.2.5.2.3.7.7 Isabel da Silva Neiva, nascida em 04/07/1911;

1.2.5.2.3.7.8 Maria Luíza, nascida em 23/02/1913;

1.2.5.2.4 Cristina Izidoro de Toledo, 28 anos; casada com Teotônio Faria de Araújo ou Teotônio Porfírio de Araújo, falecido por volta de 1923; residente na fazenda Barra do Paiol.
Inventário: 1ª Vara cx. I-32.



Filhos:

1.2.5.2.4.1 Maria, 24 anos; Maria Porfírio de Araújo, já falecida na
inventário da mãe, casada com Francisco Porfírio de Araújo;


Filhos:

1.2.5.2.4.1.1 Elpídia Porfírio de Araújo;

1.2.5.2.4.1.2 Tomásia Porfírio de Araújo; residente na fazenda da Garricha;

1.2.5.2.4.2 Manoel, 23 anos; Manoel Porfírio de Araújo, casado; residente na fazenda Escuro, no lugar denominado Serra do Adão;

1.2.5.2.4.3 Elói, 14 anos; Elói Porfírio de Araújo, falecido;

Filha:
1.2.5.2.4.3.1 Iraci Porfírio de Araújo, incapaz;

1.2.5.2.5.4 João, 12 anos; João Porfírio de Araújo;

1.2.5.2.4.5 Altina, 8 anos; Altina Porfírio de Araújo, casada com Abrão Dantas Netto;

1.2.5.2.4.6 Júlio, 4 anos; Júlio Porfírio de Araújo, casado; residente na fazenda Escuro, no local denominado Serra do Adão.

1.2.5.2.4.7 Sérgio Porfírio de Araújo; residente na fazenda Capão das Órfãs.

1.2.5.2.5 Thiago Izidoro de Toledo, 24 anos, solteiro;

1.2.5.2.6 Rufina, 8 anos; Rufina de Izidoro de Toledo;

Filhos:

1.2.5.2.6.1 Cândida de Oliveira Barreiros, casada com Cristino Pereira da Costa, falecido;

Filhos:

1.2.5.2.6.1.1 Honorata Pereira da Costa, 30 anos, solteira.


Filho:

1.2.5.2.6.1.1.2 Theodoro de Oliveira Barreiros, casado em 04/1890 com
Francisca de Carvalho, filha de Ignácio José de Carvalho e de Maria Pia
de Freitas. residentes na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.2 Agostinha Pereira da Costa, 28 anos; casada com Gregório Ferreira Nunes; residentes na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.3 Anastácio Pereira da Costa, falecido; foi casado com Carolina
Gonçalves de Noronha;

Filho:

1.2.5.2.6.3.1 Lúcio Pereira da Costa, 6 anos;

1.2.5.2.6.4 Jerocina Pereira da Costa, 22 anos; casada com Felipe Macambira; residentes na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.5 Manoel Pereira da Costa, 20 anos, solteiro; residente na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.6 Maria Pereira da Costa, 19 anos solteira; residente na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.7 Marta Pereira da Costa, 16 anos, solteira; residente na fazenda Buritizinho

1.2.5.2.6.8 Deolinda Pereira da Costa, 14 anos, solteira; residente na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.9 Gregória Pereira da Costa, 12 anos, solteira; residente na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.10 Matildes Pereira da Costa, 9 anos; residente na fazenda Buritizinho;

1.2.5.2.6.11 Josefa Pereira da Costa, 7 anos; residente na fazenda Buritizinho;


1.2.6 Manoel Fernandes de Sousa, sem mais notícias;


1.3 Feliciano de Oliveira Barreiros, 36 anos no inventário do pai; falecido em 29/08/1881, solteiro;
Inventário: 2ª Vara cx. 1881-A.

1.4 Jacob de Oliveira Barreiros, 34 anos no inventário do pai;

Filhos:

1.4.1 Rosa de Oliveira Barreiros;

1.4.2 Manoel de Oliveira Barreiros;

1.4.3 Francisco de Oliveira Barreiros, falecido em 08/08/1898; casado com Maria da Paixão Cardoso do Rego, sem descendência.
Inventário: 1ª Vara cx. I-15.

1.5 Lourenço de Oliveira Barreiros, 32 anos no inventário do pai; falecido em 23/03/1871; casado com Teodora Fernandes da Cruz; moradores na fazenda Dobeira.
Inventário: 2ª Vara cx.1871.



Filhos:



1.5.1 Máximo de Oliveira Barreiros, 28 anos; casado com Joana de Oliveira Barreiros, filha legítima de José de Oliveira Barreiros e de Maria da Conceição, casamento realizado em 19/07/1867;

1.5.2 Lúcio de Oliveira Barreiros, 26 anos; casado com Cândida Mendes Teixeira;


1.5.3 Manoel de Oliveira Barreiros, 25 anos; casado com Maria Mendes Santiago, filha legítima de Pedro Mendes Santiago e de Bonifácia Peixoto dos Santos;


1.5.4 Gonçalo de Oliveira Barreiros, 24 anos; casado duas vezes:

1º matrimônio realizado em 21/10/1867 com Ana Monteiro dos Santos,
filha legítima de Luís Monteiro dos Santos e de Joana Rodrigues Fraga;

2º matrimônio com Maria Alves de Figueiredo, parda de 18 anos, filha legítima de Sabino Alves de Figueiredo e de Francisca de Sousa Correia, casamento realizado em 23/07/1874.



1.5.5 Bibiano de Oliveira Barreiros, 23 anos; casado com Rosa Mendes Teixeira, filha legitima de Serafim Mendes Teixeira e de Eugenia Teixeira de Santana, casamento realizado em 31/07/1873; moradores na fazenda Dobeira.
Inventário: 2ª Vara /1899.

Filha:

1.5.5.1 Júlia de Oliveira Barreiros, 8 anos; foi casada com João Ferreira da Silva, natural de Coração de Jesus, Minas Gerais; o casal teve, dentre outros, os filhos:

1.5.5.1.1 Salviana Ferreira da Silva, nascida em 1913;
1.5.5.1.2 Geraldo Ferreira da Silva, nascido em 1927;

1.5.6 Justina de Oliveira Barreiros, 29 anos; casada com Benedito Tavares Sampaio;

1.5.7 Cecilia de Oliveira Barreiros, falecida. 

Filho:

1.5.7.1 Ana Monteiro dos Santos;

1.6 Rosa de Oliveira Barreiros, casada com Luiz Pereira de França, falecido em 08/11/1854; fazenda Paiol.
Inventário: 2ª Vara/1855

Filhos:

1.6.1 Quintiliano Pereira de Brito ou França, falecido em 13/04/1853; casado com Jacintha Correia de Sousa; fazenda Barra do Paiol.

Filho:

1.6.1.1 Pedro, 3 anos;

1.6.2 Francisca Pereira de Brito ou França, casada com João Correia D'Affonseca;

1.7 José de Oliveira Barreiros, 28 anos no inventário do pai; casado com Maria da Conceição de Queirós;

Filhos descobertos:

1.7.1 Vicente de Oliveira Barreiros, falecido em 20/08/1906; casado com Benedita de Oliveira (ou Benedita Ribeiro dos Santos) falecida em 31/05/1920; fazendas Buriti e Barra do Paiol.
Inventário: 1ª Vara/I-52.
"Aos 10/1874 casou Vicente de Oliveira Barreiros, filho legitimo de
Jose de Oliveira Barreiros
e Maria da Conceição de Queiros, com
Benedita Ribeiro dos Santos, filha legitima do finado Ignacio Ribeiro
dos Santos
e Anastacia Moreira do Val..."

Filhos:

1.7.1.1 Roberta de Oliveira Barreiros, viúva; residente na fazenda Soares;

1.7.1.2 Caetano de Oliveira Barreiros, falecido; foi casado com Joana Fernandes Vianna; residentes na fazenda Barra do Paiol.

Filhos:

1.7.1.2.1 Emerito de Oliveira Barreiros, solteiro;

1.7.1.2.2 Estelita de Oliveira Barreiros; residente na fazenda Barra do Paiol;

1.7.1.2.3 Franklina de Oliveira Barreiros; residente na fazenda Coqueiros;

1.7.1.2.4 Carolina de Oliveira Barreiros;

1.7.1.2.5 Maria de Oliveira Barreiros, casada com Júlio Batista de Oliveira; residentes na fazenda São Luiz.

1.7.1.2.6 Darcília de Oliveira Barreiros;

1.7.1.3 Crispiano de Oliveira Barreiros, casado; residente na fazenda Barra do Paiol;

1.7.1.4 Ângelo de Oliveira Barreiros, falecido; foi casado com Luíza Severino Maciel, filha legitima de Felipe Severino Botelho e de Gregória Venâncio de Oliveira, casamento realizado em 24/05/1908.

Filhos:

1.7.1.4.1 Maria de Oliveira Barreiros;

1.7.1.4.2 Vicente de Oliveira Barreiros Filho, 12 anos;

1.7.1.4.3 Hermes de Oliveira Barreiros, 11 anos;

1.7.1.4.4 Benedito de Oliveira Barreiros, 10 anos;

1.7.1.5 Lina de Oliveira Barreiros;

Todos residentes na fazenda Dobeira.

1.7.1.6 Inácio de Oliveira Barreiros; residente na fazenda Soares;

1.7.1.7 Emídia de Oliveira Barreiros, falecida; foi casada com Januário Porfírio de Araújo; residentes na fazenda Veredinha.

Filhos:

1.7.1.7.1 Graciano;

1.7.1.7.2 Daniel;

1.7.1.7.3 Silvéria;

1.8 João Evangelista de Oliveira, 26 anos no inventário do pai; casado com Jacintha de tal;

1.9 Thomásia de Oliveira Barreiros, 24 anos no inventário do pai; casada com Vicente de Afonseca Mello;

1.10 Nicolau de Oliveira Barreiros, 20 anos no inventário do pai; falecido em 22/05/1861; casou duas vezes. Partes nas fazendas Dobeira e Paiol
Inventário: 2ª Vara/1861.
1º matrimônio com desconhecida;
2º Matrimonio com Catarina Fernandes de Sousa, falecida em 24/05/1905;

Filhos:

1.10.1 Romana Oliveira Barreiros, 11 anos; casada com Francisco da Cruz dos Reis (inventário de Catarina Fernandes de Sousa I-18);

Filhos:

1.10.1.1 Júlia da Cruz dos Reis, 34 anos; casada com Justino Izidoro Toledo; residentes na fazenda Dobeira;

1.10.1.2 Antonia da Cruz dos Reis, 32 anos, solteira; residente na fazenda Dobeira;

1.10.1.3 Manoel Doroteu de Oliveira Barreiros, 28 anos; casada com Felipa da Silva Pereira; residentes na fazenda Dobeira.

1.10.1.4 Acelino de Oliveira Barreiros, 26 anos; residente na fazenda Dobeira;

1.10.2 Vicente Oliveira Barreiros e Sousa, casado com Maria de Oliveira Melo;

Filhos;

1.10.2.1 Florência de Oliveira e Sousa, 24 anos; residente na fazenda Pindaíbas;

1.10.2.2 Cirilo de Oliveira e Sousa, 22 anos;

1.10.2.3 Salustiano de Oliveira e Sousa, 18 anos;

1.10.2.4 Roberto de Oliveira e Sousa, 14 anos;

1.10.2.5 Rita de Oliveira e Sousa, 7 anos;

1.10.2.6 Miguel de Oliveira e Sousa, 6 anos;

1.10.2.7 Honorata de Oliveira e Sousa, 4 anos;

1.10.2.8 Júlio de Oliveira e Sousa, 2 anos;

1.10.3 Joaquim Oliveira Barreiros, 5 anos; falecido em 23/01/1894; casado com Thereza da Cruz dos Reis.
Inventário: 2ª Vara/1889-1890.

Filhos:

1.10.3.1 Maria de Oliveira Barreiros, 11 anos;

1.10.3.2 Carlos de Oliveira Barreiros, 10 anos;

1.10.3.3 Cândido de Oliveira Barreiros, 8 anos;

1.10.3.3 Theodoro de Oliveira Barreiros, 6 anos;

1.10.4 Ângela Oliveira Barreiros, 3 anos; casa-se com João Ferreira
Nunes (conforme inventário da mãe);

1.10.4.1 Lina Ferreira Nunes, 26 anos, solteira; casa-se com Justino
de Oliveira Barreiros, falecido em 15/01/1939; residente no lugar denominado Poção, fazenda Dobeira.
Inventário: 2ª Vara/1940.

Filhos:

1.10.4.1.1 Áurea de Oliveira Barreiros, maior, solteira;

1.10.4.1.2 Marciana de Oliveira Barreiros, maior, solteira;

1.10.4.1.3 Luiz de Oliveira Barreiros, maior, solteiro;

1.10.4.1.4 Afra de Oliveira Barreiros, maior, solteira;

1.10.4.1.5 Brandilia de Oliveira Barreiros, 20 anos, solteira;

1.10.4.1.6 Lázaro de Oliveira Barreiros, 18 anos, solteiro;

1.10.4.1.7 Genésio de Oliveira Barreiros, 17 anos, solteiro;

1.10.4.1.8 Antonio de Oliveira Barreiros, 15 anos, solteiro;

1.10.4.1.9 Maria de Oliveira Barreiros, 13 anos;

1.10.4.2 Gregório Ferreira Nunes, 25 anos, casado com Agostinha Pereira da Costa; residente na fazenda Buritizinho;

1.10.4.3 Manoel Ferreira Nunes, 22 anos, solteiro; residente na fazenda Buritizinho;

1.10.5 Marcelina Oliveira Barreiros, 6 meses;

1.11 Sebastiana de Oliveira Barreiros, 18 anos no inventário do pai; casada com João Antonio Pereira da Silva; ela falecida em 02/02/1870; moradores na fazenda Dobeira.
Inventário: 2ªVara/1870.
Obs.: em seu inventário aparece como solteira, tendo como herdeiros
irmãos e sobrinhos.

2. Francisco de Oliveira Barreiros, casado com Rosa Furtada, falecida em 05/1837; moradores na fazenda Vão do Santa Izabel.
Inventário: 2ª Vara/1837.

Filhos:

2.1 Gertrudes de Oliveira Barreiros, 17 anos; casada com José Severino Botelho.


Filhos descobertos:

2.1.1 Jacinta Severino Botelho, nascida em 08/07/1836;

2.1.2 Veríssimo Severino Botelho;

2.1.3 Rita Severino Botelho, nascida em 10/10/1848;

2.1.4 Maria Severino Botelho, nascida em 11/02/1852;

2.1.5 Joana Severino Botelho, nascida em 20/06/1853; filho natural:


2.1.5.1 Manoel, batizado em 03/06/1885;

Com Carlos Severino Botelho, teve o filho descoberto:

2.1.5.2 Joaquim, batizado em 15/08/1890;

2.2 Renovata, 15 anos;

2.3 Antonio, 13 anos;

2.4 Felipe, 11 anos;

2.5 José, 7 anos;

2.6 Joana, 9 anos;

2.7 Joaquim, 5 anos;

2.8 João, 3 anos;

2.9 Maria, 6 meses;

  
DESENTRONCADOS

Severino de Oliveira Barreiros, falecido Em 03/12/1920; casado com Carolina Ribeiro dos Santos; fazenda Cedro e Cachoeira.
Inventário: 2ª Vara/1921-1922.

Filhos:

1. Limírio de Oliveira Barreiros, casado;

2. Antonia de Oliveira Barreiros, casada com José Ribeiro dos Santos,
falecido em 14/04/1951.
Inventário: 2ª Vara/1954-1955.

Filhos:

2.1 Nicomedes Ribeiro dos Santos, casado com Mariolina Martins Borges;

Filhos:

2.1.1 João Ribeiro dos Santos;

2.2 Agenor Ribeiro dos Santos, viúvo;

2.3 Antenor Ribeiro dos Santos, Falecido; foi casado com Francisca Cândida de Moura;

Filhos:

2.3.1 Maria Ribeiro dos Santos, casada com Adão Gonçalves dos Santos;

2.3.2 Benedita Ribeiro dos Santos, casada com Antonio de Araújo Ferreira;

2.3.3 José Domingos Ribeiro dos Santos;

2.3.4 Claudina Ribeiro dos Santos;

2.4 Jovina Ribeiro dos Santos, casada com Irineu Alves Ribeiro;

2.5 Herculano Ribeiro dos Santos; residente em Bambuí;

2.6 Milintina Ribeiro dos Santos, solteira;

3. Jovina de Oliveira Barreiros, casada com Ezequiel Pinto Brandão, falecido em 01/02/1925; moradores na fazenda do Catingueiro, distrito do Rio Preto.
Inventário: 1ªvara/I-36.
Sem descendentes.

4. Delmira de Oliveira Barreiros, falecida em 05/09/1936; foi casada Joaquim Moreira do Vale.
Inventário: 2ª Vara/1937-A.

Filhos:

4.1 Aureliano Moreira do Vale, 45 anos;

4.2 Leonizio Moreira do Vale;

5 Teodora de Oliveira Barreiros, casada com Moisés D'Affonseca e Silva;
residentes na fazenda Jardim, ribeira do Rio Preto;

6 Laurinda de Oliveira Barreiros, casada com Victor Ribeiro dos Santos;

7 Cecilia de Oliveira Barreiros, falecida em 21/04/1948; casada com Antonio Soares Rodrigues.
Inventário: 2ªvara/1951.

Filhos:

7.1 Paulino Soares Rodrigues;

7.2 José Soares de Oliveira;

7.3 Olentina Soares de Oliveira, casada com José Barbosa de Brito;

7.4 Isidora Soares de Oliveira, casada com Marinho Teixeira de Sousa;

8 Rufina de Oliveira Barreiros, casada com Alexandre Lopes da Trindade.

Esta é uma obra de genealogia, estando sujeita a correções e acréscimos.”

Fontes:

1 Inventários citados no corpo do texto, sob a guarda do Arquivo Municipal de Paracatu;
2 Livros paroquiais da matriz de Santo Antonio de Paracatu.

Postagens mais visitadas

SÉRIE - PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 18 - NETTO SIQUEIRA

Por José Aluísio Botelho Eduardo Rocha
A família Netto de Siqueira iniciada nos primórdios do arraial de Paracatu, derivam pela linha materna dos Netto Carneiro Leão, e que exemplifica o caldeamento racial na Paracatu colonial, ou seja, a união entre o branco europeu e o negro africano. Como dito acima, são aparentados dos Netto Carneiro Leão, descendentes do português Antonio Netto Carneiro Leão, que teve a filha natural Maria Netto Carneiro Leão com uma ex-escrava, alforriada por ele, como veremos adiante (imagem de batismo de Antonia), que, por dedução, de acordo com a idades dos filhos, deve ter nascido nas primeiras décadas da povoação, por volta de 1755, pouco mais ou menos, e portanto antes do casamento legítimo do capitão Antonio Netto Carneiro Leão com Ana Maria Lemes.
                      O CASAL TRONCO E SUA DESCENDÊNCIA
1. Maurício Tavares de Siqueira, filho natural de Joaquim Tavares de Siqueira e de Joana da Costa, preta mina, nascido na fazenda dos Quirinos, ribeira do Ri…

PIONEIROS DO ARRAIAL DO OURO 21 - BARBOSA DE BRITO

POR JOSÉ ALUÍSIO BOTELHO
EDUARDO ROCHA


Fato relevante: localizamos o testamento do capitão José Barbosa de Brito no Arquivo Municipal de Paracatu - ele testou aos 27 dias do mês (ilegível) de 1771. Na ocasião sua mulher já era falecida: "missa pela alma de minha mulher Agostinha da Costa Silva."Abaixo faremos algumas correções e acréscimos que achamos necessários à luz do novo documento.


José Barbosa de Brito. Em um documento datado de 1763, por nós compulsado, em que ele aparece como testemunha, está descrito: “José Barbosa de Brito, homem branco, casado, morador neste arraial de Paracatu, que vive de suas minas, natural da cidade de Braga, com idade de 60 anos, pouco mais, pouco menos.” Portanto, nascido por volta de 1703, em Braga, norte de Portugal. No seu testamento, ele declara ser natural da freguesia de São Vítor, Campo de Santana, cidade de Braga, filho legítimo de Manoel Barbosa e de Jerônima de Brito. Localizamos seu assento de batismo realizado aos 07/10/1703, vide …

LENDAS DO BRASIL CENTRAL 1 - CRÔNICAS INÉDITAS DE OLYMPIO GONZAGA

Por José Aluísio Botelho



Resgatamos, após minuciosas pesquisas, alguns escritos de Olympio Gonzaga que se encontravam desaparecidos, dentre eles, crônicas que escreveu para seu livro não editado, Lendas do Brasil Central, transcritas na grafia original, tal como ele as concebeu, sem correções ortográficas e gramaticais, para que nossos leitores avaliem a qualidade dos textos e sua importância para a história de Paracatu.
Sobre o autor: Olympio Gonzaga foi um homem inquieto, preocupado em resgatar a história de Paracatu, através de texto históricos, crônicas, narrativas de acontecimentos verídicos (como o caso dos jagunços do vale do Urucuia em 1926), seja através de registros fotográficos. Autodidata no campo da história, com formação escolar deficiente, tinha enorme dificuldade na interpretação de textos, as vezes se confundindo com as informações obtidas, falta de didatização em seus textos, bem como apresentava dificuldades no manejo da língua portuguesa. Mas, isto não importa, até …

TEXTOS INÉDITOS DE OLYMPIO GONZAGA - PRIMEIRA PARTE

Por José Aluísio Botelho

Olympio Gonzaga e o Mimeógrafo (lembram-se dele?, ancestral das impressoras modernas)

Olympio Gonzaga foi professor primário por longos anos, coletor federal, jornalista, fotógrafo, escritor, e por último comerciante: foi proprietário de um Armazém de secos e molhados (como se dizia à época) em Paracatu: no seu estabelecimento comercial vendia-se de tudo, desde um simples urinol até, eventualmente, automóveis.
Lá instalou seu mimeógrafo, com o qual prestava serviços à comunidade a preços módicos, inclusive cópias de seus escritos.

Fonte: Afonso Arinos na intimidade, Biblioteca Nacional do Brasil, divisão de manuscritos.

A seguir, alguns destes textos:

1) Reclame.



2) Biografia do Dr. Afrânio de Melo Franco, seu protetor político, a quem professava profunda admiração. 

HISTÓRIA A CONTA-GOTAS - JOSEFA MARIA COURÁ

PELA TRANSCRIÇÃO JOSÉ ALUÍSIO BOTELHO

DE ESCRAVAS À SINHÁS - JOSEFA MARIA E ROSA: NA ROTA DO DIVINO Texto de LUIZ MOTT, Antropólogo, professor da Universidade Federal da Bahia.
JOSEFA MARIA ficou na história através de um sumário de culpas que localizei na Torre do Tombo intitulado: “Para se proceder contra as feiticeiras”. Esta negra fora acusada de ser a líder e a proprietária de uma casa de cultos nas Minas de Paracatu (hoje a 200 quilômetros de Brasília), onde se realizava a Dança de Tunda, também chamada Acotundá, um ritual de louvor ao Deus da nação Courá. Segundo depoimento de algumas testemunhas que participaram de tais cerimônias, o ídolo venerado era representado “por um boneco de barro com cabeça e nariz à imitação do Diabo, espetado em uma ponta de ferro, com uma capa de pano branco, colocado no meio da casa em um tapete, com umas frigideiras em roda, e dentro delas, umas ervas cozidas e cruas, búzios, dinheiro da Costa, uma galinha morta, uma panela com feijão, moringas de á…

GENEALOGIA A CONTA-GOTAS - PIRES DE ALMEIDA LARA

Por Eduardo Rocha José Aluísio Botelho
Os Pires Almeida Lara do arraial das Minas do Paracatu tem origem em São Paulo, que de lá acorreram em busca do ouro. Os Pires e Almeidas vieram de Portugal, enquanto os Lara tem origem em Diogo de Lara, vindo de Zamora, reino de Castela no início do século dezessete. Em Paracatu encontramos um tronco desta família, porém não foi possível estabelecer, por falta de documentos, a vinculação parental, assim como se legítimos ou bastardos. Família miscigenada, esse ramo dos Pires de Almeida Lara começa com: 1- Apolinário Pires de Almeida Lara, falecido em 01-01-1851; casado com Ana Soares Rodrigues, falecida em 03-08-1862. Residentes na Rua do Calvário.
Inventário: 2ª Vara cx. 1862.

Filhos:

1-1 Félix Pires de Almeida Lara, falecido por volta de 1895; casado com Joana Cardoso do Rego, falecida por volta de 1895.

Inventário: 2ª Vara cx. 1919.

" Aos vinte e sete de dezembro de mil oito centos e trinta e seis, nesta frequesia de Santo Antonio da Manga …